Filhote de onça melânica é resgatado no município de Paranaíta
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/thumbnail-for-360839.jpg
Mato Grosso
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cDpcL1wvd3d3Lm10Lmdvdi5iclwvLVwvMTE5OTM4MjUtZmlsaG90ZS1kZS1vbmNhLW1lbGFuaWNhLWUtcmVzZ2F0YWRvLW5vLW11bmljaXBpby1kZS1wYXJhbmFpdGEiLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5hbF9saW5rIjoibm8iLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5fbG9nbyI6IiIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX29yaWdpbl9sb2dvX2xpbmsiOiIiLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9jYW5vbmljYWxfbGluayI6Im5vIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfZm9udGUiOiJGb250ZTogR09WIE1UIn0=

Um filhote macho de onça pintada melânica foi resgatado no município de Paranaíta por servidores da Regional da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) em Alta Floresta. O animal de aproximadamente três meses foi encaminhado para o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso de Sinop na quinta-feira (13.06).

O melanismo é uma alteração genética rara, explica o coordenador de Fauna e Recurso Pesqueiro da Sema, Christiano Justino. É um aumento concentrado e considerável de pigmentação preta, que ocorre no corpo todo. Também conhecida como onça-preta, a onça pintada melânica tem visíveis as rosetas e pintas típicas da espécie contra o fundo negro da pelagem.

De acordo com o diretor da Unidade Desconcentrada de Alta Floresta, Vinicius Rezek, a equipe recebeu uma ligação dizendo que o animal, encontrado na região de pastagem de um sitio, estava muito debilitado. “Um cidadão entrou em contato conosco e disse que estava cuidando de um filhote de onça a uma semana e que o animal foi encontrado desnutrido. Resgatamos o filhote e encaminhamos para o Hospital Veterinário, que faz os procedimentos necessários para reabilitar e se possível realizar a soltura deles na natureza novamente”.

O animal passou por exames nesta sexta-feira. Foram realizados coleta de sangue, exame clínico e morfobiometria. Os primeiros resultados apresentaram desidratação e desequilíbrio nutricional, além de uma baixa acuidade visual (cegueira) como consequência do quadro, informou a Professora Elaine Conceição, responsável pelo Setor de Atendimento de Animais Silvestres do Hospital Veterinário de Sinop.

A equipe responsável já iniciou a reposição fluídica e vitamínica do filhote e será necessário tratamento e acompanhamento para tentar reverter ou minimizar o quadro. “Após o tratamento, a destinação do animal vai depender de sua recuperação. Ele terá soltura monitorada ou será destinado a um cativeiro. Como é uma espécie preciosa, a intenção é incluí-lo num programa de reprodução de espécie”, afirmou Elaine.  

Duas araras canindés também foram encaminhadas pela equipe Regional da Sema de Alta Floresta para o Hospital Veterinário da UFMT de Sinop. As aves estão em ambientação e farão radiografia na próxima semana para ser traçada a conduta terapêutica.

Vinicius Rezek faz um alerta para que a população tenha cuidado com a coleta de algumas espécies. “Onça e cobra, por exemplo, são muito perigosos para serem resgatados pelo próprio cidadão. O aconselhável é que se ligue para o Corpo de Bombeiros e este encaminhe o animal para a nossa regional para que ele possa ter a soltura imediata, caso esteja apto ou ser encaminhado para o Hospital Veterinário da UFMT”.