HF BRASIL/CEPEA: Mesmo com alta dos custos, produtor de hortali├žas pode ficar no azul em 2019
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/2018/01/5-9.jpg
CEPEA
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cHM6XC9cL3d3dy5jZXBlYS5lc2FscS51c3AuYnJcL2JyXC9yZWxlYXNlc1wvaGYtYnJhc2lsLWNlcGVhLW1lc21vLWNvbS1hbHRhLWRvcy1jdXN0b3MtcHJvZHV0b3ItZGUtaG9ydGFsaWNhcy1wb2RlLWZpY2FyLW5vLWF6dWwtZW0tMjAxOS5hc3B4IiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luYWxfbGluayI6Im5vIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luX2xvZ28iOiIiLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5fbG9nb19saW5rIjoiIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfY2Fub25pY2FsX2xpbmsiOiJubyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX2ZvbnRlIjoiRm9udGU6IENFUEVBIn0=

Clique aqui e baixe o release completo em word.

Cepea, 12/06/2019 – É fato que os custos de produção das hortaliças subiram na última safra. Mas a boa notícia é que, no geral, produtores de tomate, cebola e cenoura podem garantir renda positiva em 2019, conforme a equipe Hortifruti/Cepea constatou neste Especial Hortaliças 2019 da revista HF Brasil, publicação do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

Pesquisadores da Hortifruti Brasil indicam que um dos motivos para o bom cenário de preços neste ano é a menor área cultivada, o que, por sua vez, se deve à baixa rentabilidade em alguns momentos da última safra. O clima em 2019 também não tem sido favorável à produtividade, limitando a oferta de hortaliças e, consequentemente, sustentando as cotações.

 

Conforme levantamento da equipe Hortifruti/Cepea em importantes regiões produtoras de tomates de mesa (Mogi Guaçu/SP e Caçador/SC) e industrial (Goiânia/GO), de cenoura (São Gotardo/MG) e de cebola (Lebón Régis/SC), o aumento do custo em 2019 está relacionado, especialmente, aos maiores gastos com fertilizantes e defensivos. E os preços destes insumos subiram devido à forte valorização do dólar neste ano. Além disso, o aumento no valor do frete, após a greve dos caminhoneiros em maio de 2018, também influenciou os custos em 2019.

 

O tomate industrial é o único segmento dos avaliados neste Especial Hortaliças que a previsão não é positiva. Os estoques elevados das indústrias de atomatados nos últimos dois anos têm reduzido a área de plantio e pressionado os valores pagos ao produtor.

 

DIVERSIFICAÇÃO – Como forma de driblar anos de margens estreitas, alguns produtores, sobretudo os de pequena escala e/ou os que já têm perfil multiculturas, estão diversificando suas atividades agrícolas para tentar diluir os custos. A diversificação permite que agricultores tenham mais de uma safra no ano e, consequentemente, reduzam o risco ao produzir apenas uma cultura.

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações sobre o mercado de hortifrúti aqui e por meio da Comunicação do Cepea, com a pesquisadora Margarete Boteon: (19) 3429 8836 / 8837 e cepea@usp.br.