Advogado que matou homem em bar e suspeito de golpear até a morte mulher são presos pela PC
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/2018/01/1-41.jpg
Policial
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cDpcL1wvd3d3LnBqYy5tdC5nb3YuYnJcL25vdGljaWEucGhwP2lkPTIwMTIyIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luYWxfbGluayI6Im5vIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luX2xvZ28iOiIiLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5fbG9nb19saW5rIjoiIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfY2Fub25pY2FsX2xpbmsiOiJubyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX2ZvbnRlIjoiRm9udGU6IFBKQyBNVCJ9

Assessoria | PJC-MT

Dois foragidos da Justiça, sendo um deles advogado, foram presos pela Polícia Judiciária Civil, durante ações distintas da Gerência Estadual de Polinter para cumprimento de mandados judiciais. Ambos procurados são acusados de crime de homicídio qualificado. 

A primeira prisão ocorreu na quarta-feira (05.06). Foi preso José Francisco Fernandes, 58 anos, conhecido como “Fernando”. Ele foi detido 14 anos depois de cometer um  homicídio duplamente qualificado, contra sua esposa Laudiceia Rufino de Souza Fernandes.

O crime aconteceu no ano de 2005, na residência do casal no bairro Parque do Lago, em Várzea Grande. A vítima tinha três filhas, todas com o suspeito José Fernandes. Após os fatos, o suspeito foi condenado a mais de dez anos de prisão em regime fechado. No entanto encontrava-se em liberdade.

De acordo com a delegada da Polinter, Silvia Maria Pauluzi, na época desse crime ela estava lotada na Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) e foi quem  atendeu a ocorrência e presidiu o inquérito policial sobre o caso a morte da mulher.

“A vítima foi morta a golpes de instrumentos contundentes e com requintes cruéis, pois o marido não aceitava a separação”, relembrou a delegada.

O suspeito foi abordado em uma empresa de alimentos, local em que foi notificado do mandado de prisão. José Francisco foi conduzido à Polinter e encontra-se à disposição da Justiça.

O segundo foragido, o advogado Aluísio Dias de Souza, 44, conhecido como “Ninja”, era procurado em razão de estar mandado de prisão decretado por homicídio qualificado da vítima Marcos Santos de Almeida, ocorrido em março de 1998, no bar denominado “Esquinão”, no bairro Alvorada.

Diante da ordem judicial de prisão em aberta, os investigadores prenderam o advogado na manhã desta sexta-feira (07.06), nas proximidades do Aeroporto Marechal Rondon, Várzea Grande. Ele foi apresentado para audiência de custódia.