Conab prevê que país colherá 50,92 milhões de sacas de café neste ano
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/thumbnail-for-341503.jpg
EBC Economia
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cDpcL1wvYWdlbmNpYWJyYXNpbC5lYmMuY29tLmJyXC9lY29ub21pYVwvbm90aWNpYVwvMjAxOS0wNVwvY29uYWItcHJldmUtcXVlLXBhaXMtY29saGVyYS01MDkyLW1pbGhvZXMtZGUtc2FjYXMtZGUtY2FmZS1uZXN0ZS1hbm8iLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5hbF9saW5rIjoibm8iLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9vcmlnaW5fbG9nbyI6IiIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX29yaWdpbl9sb2dvX2xpbmsiOiIiLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9jYW5vbmljYWxfbGluayI6Im5vIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfZm9udGUiOiJGb250ZTogRUJDIEVjb25vbWlhIn0=

A segunda estimativa de safra do café divulgada hoje (16) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indica que o Brasil deve colher 50,92 milhões de sacas de café beneficiado, das espécies arábica e conilon, este ano. O resultado representa uma redução de 17,4% em relação a 2018.

Segundo a Conab, a queda é resultado da bienalidade negativa dos cafezais, “um fenômeno natural que ocorre com a cultura e faz com que sua produtividade seja maior em um ano e menor no ano seguinte”. Apesar da redução na estimativa, o Brasil permanece como o principal produtor e exportador mundial de café.

O café arábica, que representa uma produção de 72% do total e é mais influenciado pela bienalidade, deve alcançar 36,98 milhões de sacas, uma redução de 22,1% em comparação à temporada anterior.

A produção de conilon está estimada em 13,94 milhões de sacas, uma diminuição de 1,7% em relação a 2018. De acordo com a Conab, essa queda é consequência da redução da área plantada na Bahia e em Minas Gerais, somada à diminuição da produtividade no Espírito Santo devido a fenômenos climáticos.

Edição: Valéria Aguiar