“Bolsa Família para em setembro” sem crédito suplementar, diz Guedes
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/thumbnail-for-340669.jpg
Economia
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cDpcL1wvZWNvbm9taWEuaWcuY29tLmJyXC8yMDE5LTA1LTE1XC9ib2xzYS1mYW1pbGlhLXBhcmEtZW0tc2V0ZW1icm8tc2VtLWNyZWRpdG8tc3VwbGVtZW50YXItZGl6LWd1ZWRlcy5odG1sIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luYWxfbGluayI6InllcyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX29yaWdpbl9sb2dvIjoiaHR0cDpcL1wvd3d3LnVyZ2VudGVuZXdzLmNvbS5iclwvd3AtY29udGVudFwvdXBsb2Fkc1wvMjAxOFwvMDFcL2xvZ28taWctZncucG5nIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luX2xvZ29fbGluayI6Imh0dHBzOlwvXC93d3cuaWcuY29tLmJyXC8iLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9jYW5vbmljYWxfbGluayI6InllcyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX2ZvbnRlIjoiRm9udGU6IElHIEVDT05PTUlBIn0=

ministro da Economia, Paulo Guedes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Segundo Guedes, R$ 6 bilhões em verbas do crédito suplementar serão destinadas ao Bolsa Família


O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (14) que o Bolsa Família só terá recursos para funcionar até setembro caso o Congresso Nacional não aprove o crédito suplementar de R$ 248 bilhões pedidos pelo governo para este ano.

Leia também: Guedes indica redução do PIB para 1,5% e dispara: “Estamos no fundo do poço”

“Se o Congresso não aprovar, o Bolsa Família para em setembro”, declarou o ministro em discurso em uma audiência na Comissão Mista de Orçamento (CMO).  Guedes afirmou, ainda, que sem o crédito solicitado, outros programas, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Plano Safra, também ficariam sem verba para funcionar neste ano.

Segundo o ministro, desses R$ 248 bilhões pedidos, R$ 6 bilhões são destinados ao programa de transferência de renda, o Bolsa Família. A maior parte desse valor, no entanto (R$ 200 bilhões) é dedicada ao pagamento de aposentadorias .

Leia também: Guedes explica corte de gastos e condiciona reajuste do mínimo às reformas

Apesar do apelo, Guedes disse estar confiante na aprovação do crédito . “Evidente que isso não vai acontecer, aposto que o Congresso vai aprovar o crédito suplementar”, ressaltou.