Deputado que quebrou placa de Marielle defende PMs que mataram suspeitos no Rio
http://www.urgentenews.com.br/wp-content/uploads/thumbnail-for-296275.jpg
Nacional
eyJfb3JpZ2luYWxfdXJsIjoiaHR0cDpcL1wvdWx0aW1vc2VndW5kby5pZy5jb20uYnJcL3VsdGltb3NlZ3VuZG8uaWcuY29tLmJyXC9icmFzaWxcLzIwMTktMDItMTJcL3JvZHJpZ28tYW1vcmltLWhvbWVuYWdlbS1wbS5odG1sIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luYWxfbGluayI6InllcyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX29yaWdpbl9sb2dvIjoiaHR0cDpcL1wvd3d3LnVyZ2VudGVuZXdzLmNvbS5iclwvd3AtY29udGVudFwvdXBsb2Fkc1wvMjAxOFwvMDFcL2xvZ28taWctZncucG5nIiwiX3dwX2NyYXdsZXJfc2NoZWR1bGVfb3JpZ2luX2xvZ29fbGluayI6Imh0dHBzOlwvXC93d3cuaWcuY29tLmJyXC8iLCJfd3BfY3Jhd2xlcl9zY2hlZHVsZV9jYW5vbmljYWxfbGluayI6InllcyIsIl93cF9jcmF3bGVyX3NjaGVkdWxlX2ZvbnRlIjoiRm9udGU6IElHIE5hY2lvbmFsIn0=

Rodrigo Amorim posou quebrando a placa que leva o nome de Marielle Franco na eleição
Reprodução

Rodrigo Amorim posou quebrando a placa que leva o nome de Marielle Franco na eleição


O deputado estadual do Rio de Janeiro Rodrigo Amorim (PSL) usou a tribuna da Assembleia Legislativa (Alerj) nesta terça-feira (12) para defender os policiais que mataram 15 suspeitos em ações nos morros do Rio na última sexta-feira (8). De acordo com o parlamentar, foram atitudes “heroicas contra marginais”.

Leia também: Governo do Rio de Janeiro vai colocar PMs armados dentro de escolas públicas

Do mesmo partido de Jair Bolsonaro, Rodrigo Amorim ficou famoso ao posar em cima de um carro de som quebrando a placa simbólica que leva o nome da ex-vereadora Marielle Franco, assassinada no ano passado.

“Foi uma ação heroica do Bope e do Choque . Eles ceifaram da sociedade bandidos que tentavam render o Rio. Esses marginais estão muito bem acomodados no inferno”, discursou o parlamentar nesta terça-feira (12).

Na última sexta-feira (8), policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque subiram os morros do Fogueteiro, Fallet, Prazeres e da Coroa em uma ação de combate ao tráfico de drogas. Na ocasião, 15 jovens foram assassinados, entre eles, menores de idade.

Leia também: Deputadas fazem homenagem e criam “corredor Marielle Franco” na Câmara

Os corpos das vítimas foram levados em um carro aberto do Batalhão de Choque para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro da cidade. Os médicos de plantão disseram que 13 jovens já chegaram sem vida ao hospital. Dois foram levados feridos e operados na unidade de saúde e permanecem internados.

Moradores encontraram no domingo (10) na mata, mortos a tiros, os corpos de Matheus Lima Diniz, de 22 anos, e Michel da Conceição de Souza, de 20, aumentado para 15 o número de mortos na ação. Eles disseram que os dois rapazes foram presos na sexta-feira e estavam desaparecidos.

A ação gerou debate na sociedade. Em resposta, a Polícia Militar do Rio de Janeiro informou que foram apreendidos dois fuzis e duas pistolas e que o armamento estava em posse dos criminosos.

Leia também: Assessoras de Marielle Franco conquistam cargos de deputadas estaduais

No discurso, Rodrigo Amorim pediu que os policiais sejam chamados na Alerj para receberem moção de congratulações e aplausos dos parlamentares.