Protetor solar para cães é muito importante; saiba tudo sobre

12
source

Quando as pessoas vão andar no sol ou passar o dia no parque uma das principais preocupações é passar protetor solar para evitar queimaduras e doenças posteriores, como câncer de pele. Com os cachorros isso não deve ser diferente, já que os raios ultravioletas também podem prejudicar a pele deles. 

Leia também:  As raças de cachorro mais afetadas pelo calor e como diminuir os impactos

cachorro tomando sol na rede arrow-options
Shuttersock

Passar protetor solar no cachorro é muito importante para garantir a saúde dele

Dessa forma, o uso do protetor solar também é indispensável para os pets e ajuda a mantê-los seguros e saudáveis. A Clínica Veterinária Vet Quality listou os principais pontos que o dono precisa saber em relação ao produto; confira. 

Como funciona o protetor solar para cães? 

O produto feito especialmente para os cachorros é muito semelhando aos que os humanos usam. Ele impede que os raios UVA penetrem na derme (camada interna da pele) e que os raios UVB atinjam a epiderme (camada externa). Isso impede que o pet desenvolva, além do câncer, problemas relacionados à dermatite.

Em quais casos devo passar o protetor no pet?

Não há restrição para o produto, ou seja, todos os tipos de cães podem usá-lo. Porém algumas raças merecem cuidados redobrados, é o caso do dálmata e do dog argentino. O mesmo vale para os pets de pelagem curta, branca e pele clara. Esses cães mais sensíveis devem receber a proteção o ano todo, independente se houver ou não sol.

Para ter certeza de qual frequência de uso é melhor para o seu cachorro o ideal é se informar com um veterinário. Para as raças que possuem pelagem dupla tal recomendação é ainda mais persistente, já que esse tipo de pelagem é composto de duas camadas para proteger o pet do calor e do frio – pode ser que haja necessidade do uso frequente de protetor. 

Leia também: Importante! O que saber antes de passear com o cão em dias quentes

Como escolher o melhor protetor solar para cães?

A primeira coisa é nunca comprar protetores comuns para usar nos pets. Os componentes químicos não são iguais e, além de não agir com a mesma eficácia, as chances de o pet lamber e se intoxicar ou de apresentar reações alérgicas são grandes. 

Cachorro deitado em canga na praia arrow-options
Shuttersock

O dono não deve usar protetor solar de humanos no cachorro, isso pode prejudicar ele

Os maiores fatores de proteção são os mais indicados – e isso vale para todos os casos, mesmo os que não pertencem ao grupo dos mais sensíveis. Outros pontos importantes são que o produto seja à prova d’água e de rápida absorção. 

Em relação aos preços, eles são bem parecidos com os de filtro solar para humanos. O valor depende do fator de proteção. Fatores menores custam menos, no entanto, não protegem com a mesma eficácia dos produtos com fatores mais elevados. 

Como o protetor solar deve ser aplicado? 

A forma de aplicação também é semelhante ao produto usado pelos humanos. Espalhe o filtro por todo o corpo do pet e dê atenção especial às partes onde não há muito pelo, como focinho, orelhas e barriga. Tome muito cuidado com a região dos olhos e nariz, que são extremamente sensíveis. 

O mais indicado é fazer a aplicação 30 minutos antes da exposição do pet ao sol – o que garantirá a penetração eficaz na pele. Durante esse tempo distraia o animal com brincadeiras para que ele não se lamba. 

Caso esteja em um local onde há exposição constante, repasse o filtro solar 3 ou 4 vezes no dia. Se o cão ficar no quintal ou na varanda durante o dia o mesmo processo é necessário. 

Fonte: IG PET