Teatro de bonecos e máscaras no Teatro Marília retrata disfarces sociais

8

O Teatro Marília recebe, na quinta-feira, dia 5 de dezembro, a sábado, dia 7, o espetáculo “O Quadro de Todos Juntos”, da companhia Pigmalião Escultura que Mexe. Montada como teatro de formas animadas, a peça retrata as pequenas loucuras de um ambiente familiar, veladas por censuras internas e externas dos seus componentes. O espetáculo foi selecionado por meio do edital CenaPlural 2019, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e tem entrada gratuita.

 

O grupo Pigmalião buscou, neste espetáculo, usar da candura geralmente associada ao teatro de bonecos para criar um ambiente onde as virtudes e sonhos escondem dores e mágoas. Imagens e sonoridade conduzem uma narrativa de tensão e provocação. Os personagens são construídos de diferentes matérias, vivas e inanimadas: atores, máscaras e bonecos em tamanho natural.

 

A elegância e extrema assepsia das famílias representadas se mostram disfarces das animalidades de seus membros. A imagem do porco, animal-comida, que corriqueiramente é usada para simbolizar a sujeira, a grosseria, a falta de caráter ou até mesmo a prepotência humana, aqui é posta como asseada e impecável.

 

Modos como humanos pensam e agem por instintos primitivos se desnudam. Uma família posa para um retrato. O instante de um flash revela além da superficialidade, mostra a frágil estrutura por trás dessa imagem perfeita. Segredos são postos ao chão. Há a suspensão do tempo. Cada um de seus integrantes expõe seus mais íntimos e secretos desejos. Todos são espelhos. Todos juntos. Um encontro de família em que a realidade, o simulacro e o delírio confrontam-se em um quadro mais que verdadeiro. Este momento permite um olhar profundo, onde facilmente a própria plateia pode se ver espelhada. 

Fonte: Prefeitura Municipal de BH