Tropeada de Guarapuava à Lapa é recebida com emoções e enaltece mudança do Dia do Tropeiro no Paraná

5
source

A chegada da Tropeada de Integração Cultural 200/250 anos

Guarapuava/Lapa, neste domingo (01), foi marcada por emoções, histórias e homenagens. Após oito dias de jornada “à moda antiga”, a comitiva dos “Tropeiros dos Campos de Guarapuava” foi saudada no Rancho Carneiro (por Benvindo e Cassio Carneiro), marcando o feito. O deputado Estadual Emerson Bacil (PSL) participou do ato.

Durante a cerimônia de acolhida foi prestada homenagem ao deputado Emerson Bacil. Ele é o autor da Lei, aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa do Paraná e sancionado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior em 13 de novembro, que instituí no âmbito do estado do Paraná o dia 26 de abril como Dia Estadual do Tropeiro e a última semana do mês como Semana do Tropeiro.

Para tanto, o parlamentar teve apoio de estudos e base histórica, para a proposição do projeto que se transformou em Lei, da Universidade Livre do Tropeirismo (UNIIT), com sede na Lapa e coordenada pelo lapeano Márcio Assad. “É o reconhecimento do Paraná ao papel do município, que já comemora esta data desde 1966. Os lapeanos preservam elementos deste ciclo econômico que formou o Brasil Meridional”, disse.

Bastante interessado no tema Emerson Bacil realizou visitas à Lapa, na composição desta proposição. Em especial ao Museu do Tropeiro do Feixo, de propriedade de Hilário Rodrigues. Na solenidade deste domingo, o proprietário, também, relembrou sua primeira incursão no mundo do tropeirismo, quando aos nove anos fez a viagem de Guarapuava à Lapa, como “madrinheiro de tropa”. Dando respaldo ao reconhecimento paranaense aos valores lapeanos preservados e mantidos.

A saga no Caminho das Tropas – A comitiva dos Tropeiros dos Campos de Guarapuava fez o percurso, em torno de 250 quilômetros, passando por Inácio Martins, Irati e São João do Triunfo. Na viagem nenhuma intervenção de carro de apoio, apenas se alimentando daquilo que trouxeram nas bruacas (malas rústicas dispostas sobre as mulas) e pernoitando ao relento, em locais de pousos cedidos por proprietários ao longo do caminho.

O trecho percorrido, tradicionalmente, foi uma linha de condução de rebanhos entre os campos de Guarapuava, que chegam aos 200 anos como município neste mês, até a Lapa – 250 anos completados em 13 de junho de 2019. Os lapeanos detinham um quesito próprio: preparar o gado, vindo da região e de Viamão/RS para a feira de Sorocaba/SP. Nas pastagens locais, ganhavam peso e melhoravam o lucro.

Os momentos de grande emoção dentro e fora do protocolo, tomaram todos de surpresa os presentes neste domingo. Principalmente quando o tropeiro lapeano José Jóca (87 anos) descreveu fatos do trecho percorrido 60 anos atrás. Ele explanou com clareza o conhecimento que tem da maioria dos familiares dos tropeiros da comitiva guarapuavana, relembrando fatos de tropeadas e negociações de outrora. Fortalecendo este vínculo das permanências preservadas.

A cerimônia teve, ainda, a participação do vice-prefeito da Lapa, Joacir Gonsalves. Também da procuradora geral do município, Samira Karam Semaan, que ofereceu, na recepção, iguarias da gastronomia árabe de seus dotes culinários, homenageando seus concidadãos uma vez que é nascida em Guarapuava. “Essas comemorações seguiram em clima de festa e congraçamento entre antigos e novos amigos, unidos pelos laços históricos do tropeirismo, que a partir de agora estão mais estreitos do que nunca entre Lapa e Guarapuava”, definiu Márcio Assad.

Fonte: Assembléia Legislativa do Paraná