Seu chefe é legal? Aprenda a reconhecer e lidar com 5 tipos diferentes

10
source
líder arrow-options
iG/Arquivo

Boa relação com o chefe pode ajudar a manter qualidade de vida no ambiente do trabalho

Um bom relacionamento com a chefia é uma das garantias de qualidade na vida profissional. Gera confiança, motivação, segurança e estabilidade. Mas nem sempre isso é fácil.

Uma pesquisa da consultoria de recrutamento Michael Page feita durante entrevistas de emprego apontou que a cada dez pedidos de demissão oito foram causadas pelo chefe

Prepare-se: como responder 20 perguntas ‘clássicas’ na entrevista de emprego

 Para quem está começando em um novo emprego ou pretende se consolidar naquela oportunidade, conhecer o perfil de liderança do gestor pode facilitar a construir essa relação, ou pelo menos, melhorá-la.

De acordo com o grupo técnico que forma a assessoria de carreira da Catho, plataforma de vagas de emprego, algumas atitudes são positivas e podem melhorar a relação com qualquer chefe.

“Ter tolerância, flexibilidade e acima de tudo maturidade e respeito é de suma importância”, ensinam os especialistas. Outra dica importante, “é não levar qualquer atitude para o pessoal”, acrescentam.

A comunicação constante com a chefia também é valorizada pela equipe de especialistas da Catho. “Deve ser efetiva e frequente, pois por meio dela (comunicação) é possível trabalhar qualquer questão ou esclarecer qualquer mal-estar”, ensinam.

Se as dicas gerais são um bom começo, ainda melhor é reconhecer o perfil da chefia e entender a melhor forma de lidar com ele. Veja cinco perfis de líderes levantados pela assessoria de carreira da Catho, quais as principais características de cada um e o que  esperam do liderado. 

1 – O chefe autoritário

É aquele que lidera a equipe pelo medo de punição . Tem dificuldade de absorver opiniões diferentes das suas e tem dificuldades nos relacionamentos interpessoais, funcionando na base da hierarquia.

Encontre emprego no lugar certo: sites divulgam vagas por área de atuação

Pontos fortes: com atitudes diretas e rápidas, pode ser útil em momentos de crise extrema ou frente “funcionários e/ou equipes desrespeitosas, quando se faz necessário um direcionamento mais direto”, avalia a equipe da Catho.

Pontos fracos: gera poucas oportunidades de crescimento e sua pressão pode causar alta rotatividade, além de transtornos emocionais como  Burnout, depressão, ansiedade.

Como lidar? É importante demonstrar respeito , mas isso não significa concorda sempre. A equipe da Catho orienta a evitar ficar apontando erros, “mas sim sugerir mudanças com ar de cooperação e de preferência de forma tranquila”, ensina. Os especialistas ressaltam que esse tipo de chefia espera que os profissionais cumpram ordens sem muito questionamento , de forma objetiva, e entregue resultados.

2 – O chefe centralizador

A principal característica desse perfil é a dificuldade de delegar . “De modo geral evita envolver e consultar a equipe para solucionar problemas e tem muita dificuldade de delegar as demandas, preferindo centralizar as atividades e entregas em si mesmo”, explica a equipe da Catho.

Pontos fortes: É ágil na tomada das decisões e consegue ter maior controle, firmeza e conhecimento sobre os processos , assumindo o papel de “solucionador de problemas”. Tem habilidade para a formação de um time especializado e de alta produtividade, ainda que por meio de estímulos e da alta pressão.

Pontos fracos: Tem dificuldade em confiar no trabalho dos colaboradores, pode causar desconfiança e frustração na equipe, que se sente desvalorizada. Tende a não compartilhar resultados e objetivos e geralmente não propicia um ambiente de comunicação e relacionamento com a equipe, desestimulando a autonomia.

Como lidar? Nesse caso é aconselhável não bater de frente. “Busque compreender o que o líder espera de você e seja seu aliado nessa busca”, orienta a Catho. Outra dica é manter a objetividade na comunicação, indo direto ao ponto. Esse tipo de profissional espera foco e comprometimento na execução das atividades.

3 – O chefe motivador

Geralmente funciona bem em momentos de crise, quando a organização precisa de maior coesão. “É capaz de unir pessoas, propósitos e objetivos com palavras e exemplo”, diz a Catho sobre esse perfil. Trabalha para estimular a equipe a seguir os processos em ação e alcançar os resultados desejados. Ele, ao motivar as pessoas, acaba extraindo delas um potencial muitas vezes ignorado.

Além de boas respostas: 9 atitudes para evitar durante a entrevista de emprego

Pontos fortes: Capaz de entregar resultados sem massacrar a equipe , assume erros, reconhece suas fraquezas e trabalha com sua equipe para o desenvolvimento de todos.

Pontos fracos: Pode ter dificuldade em assumir uma postura mais firme com a equipe ou colaborador no momento de delegar atividades ou cobrar entregas , visto que foca na autonomia.

Como lidar? É considerado um dos melhores tipo de chefe para trabalhar, pois costuma reconhecer os talentos, aceitar as fraquezas, identificar competências , habilidades e desenvolver potenciais. Lidar com esse líder envolve ter diálogo, sem receio de demonstrar onde quer chegar na empresa e na carreira. É isso que ele espera do colaborador.

4 – O chefe democrático

líder arrow-options
iStock

O líder democrático busca dividir com sua equipe decisões e méritos

Esse perfil de chefia se enxerga como um orientador e facilitador dos interesses do time. Seu foco é a gestão horizontal , ou seja a administração e liderança participativa. As decisões, providências e estratégias costumam ser  discutidas de forma coletiva, assim como a divisão das demandas, exigindo autonomia ao liderados.

Pontos fortes: Tem facilidade em criar ambientes de integração , troca e boa relação entre os membro da equipe. Quando consegue, gera ganhos em produtividade e no clima organizacional. Sabe ouvir e se mostra flexível a mudanças.

Pontos fracos: Pode delegar demais, tornando-se refém do próprio time. Além disso, pode ser visto como um líder fraco e com pouco domínio do grupo . Corre o risco de deixar o processo de decisão mais lento, em busca de um acordo consensual . Também pode ter problemas na solução de conflitos.

30 perguntas ‘inacreditáveis’ feitas em entrevistas de emprego: como responder?

Como lidar? Esse perfil tende a ser mais fácil de lidar, afinal se mostra aberto a sugestões e diálogo. Mas cuidado para não extrapolar a linha do profissionalismo. O líder democrático tem uma expectativa que o liderado seja inovador, participativo e autônomo, mas também comprometido com os resultados.

5 – O chefe carismático

Lidera por meio da motivação baseando-se em sua presença, palavras e atitudes . Ele trabalha para que sua equipe  não dependa de recompensas para funcionar e gerar resultados. Busca uma equipe que se sinta parte do processo com um líder que atua a favor de seus liderados.

Pontos fortes: Possui um elevado grau de empatia, comunicação interpessoal, e desperta a admiração e a confiança de sua equipe.

Pontos fracos: Sendo um líder carismático, costuma ser muito autoconfiante , e por isso pode faltar elementos importantes como conhecimento técnico, autoconhecimento e a preocupação genuína com os outros. Nesses caso, tendo em vista o poder de persuasão desse líder, é possível o surgimento de uma relação tóxica , que esconde as dificuldades do gestor em liderar.

Como lidar? “Demonstrando admiração pelo seu trabalho e reconhecendo suas conquistas na carreira”, aconselha a equipe da Catho. O líder carismático, na maioria das vezes, prefere trabalhar com quem tenha um bom grau de comunicação e influência, além de buscar crescimento na organização.

Fonte: IG ECONOMIA