Projeto ‘Guardando e Defendendo Maria da Penha’ encerra atividades com premiações das melhores redações

6

Foi durante uma cerimônia cheia de gratificações, que o projeto “Guardando e Defendendo Maria da Penha”, encerrou suas atividades em Várzea Grande em 2019. Durante a solenidade houveram apresentações e premiações, as melhores redações ganharam kits escolares e bicicletas. 

Os prêmios foram entregues aos alunos das Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs), Abdala José de Almeida, Gonçalo Domingos de Campos (CAIC), Salvelina Ferreira da Silva, Eunice Cesar de Mello e Líbia da Costa Rondon. Dez alunos de cada uma dessas unidades receberam as premiações, por ordem de classificação. Durante todo o ano de 2019 a ação alcançou cerca de 600 crianças de 4 anos ao 9º ano do ensino fundamental.      

Os trabalhos que fazem parte de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, a Guarda Municipal e a LÍRIOS (Liga de Restruturação das Irmãs Ofendidas no Sentimento – Organização que oferece apoio psicossocial a mulheres em situação de violência), foi finalizado no início dessa semana, no Anexo 2 da Secretaria Municipal de Educação. 

O objetivo do projeto é trabalhar com crianças, adolescentes, profissionais, pais, mães e/ou responsáveis, o fenômeno da violência e suas manifestações, enfatizando temas centrais como: violência contra mulher e familiar, estereótipos, bulling, preconceitos em relação a deficiências físicas ou mentais na comunidade que vivem. 

A subsecretária, Benedita Ponce de Arruda, agradeceu aos parceiros na execução do projeto, que para ela fez e faz a diferença na vida de muitas crianças e de suas famílias. “Combater a violência e introduzir na sociedade meios de evita-la é mais que uma ação social, é uma forma de educar, amar e cuidar. Esse projeto traz esperanças de um futuro melhor, não só para essas crianças, mas para toda a população que poderá contar com futuros cidadãos de bens”, disse.  

De acordo com a Defensora Pública que atua na vara de violência doméstica de Várzea Grande, Tânia Regina de Matos, o objetivo geral é prevenir a violência através da sensibilização das crianças da rede pública de ensino mostrando a importância de se construir relações de igualdade e de respeitar as outras pessoas.

“O projeto propõe sensibilizar acerca da temática e criar mecanismos de identificação e intervenção na realidade dos envolvidos, caso necessário. As ações buscam de forma lúdica incentivar a capacidade dos próprios sujeitos de modificar sua realidade, estimulando a construção de uma cultura de equidade e igualdade, a fim de amenizar os índices de todos os tipos de violências e outras discriminações”, explicou.

“Na escola eu aprendi que até músicas podem agredir a moral e o psicológico das mulheres. Devemos repensar nossas atitudes, não só os homens, mas nós mulheres também devemos respeitar umas às outras. Nós mulheres devemos nos dar o devido respeito, se começarmos por nós mesmas, vamos ensinar aos outros como nos tratar. Aprendi com esse projeto principalmente que ninguém é melhor do que ninguém”, disse durante seu discurso a aluna, Rutiely Santos, representando aos demais estudantes. Ela foi ainda uma das ganhadoras dos prêmios das melhores redações.

Por: Letícia Kathucia – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande MT