Paralisia do carrapato em animais: prevenção, sintomas e cuidados

7
source

Os carrapatos são transmissores de diversas doenças, tanto em pets quanto em humanos. Porém uma dessas enfermidades que não é tão conhecida pelos tutores é a paralisia do carrapato , explica a veterinária Lívia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Leia também: Pet ficando escuro em volta dos olhos? Pode ser lágrima ácida

cachorro deitado arrow-options
shutterstock

A paralisia do carrapato pode atingir cães e gatos na área rural ou urbana


A doença é causada por uma toxina presente na saliva das fêmeas de certas espécies de carrapato, afetando o sistema nervoso do animal e causando sintomas característicos que variam de intensidade de acordo com o estágio da doença.

São eles:

  • Vômito;
  • Dificuldade para se alimentar;
  • Salivação excessiva;
  • Pupilas dilatadas;
  • Perda os movimentos de forma parcial ou completa;
  • Perda parcial ou completa dos reflexos; 
  • Episódios de asfixia;
  • Pressão alta;
  • Ritmo cardíaco acelerado;
  • Fraqueza nos membros posteriores.

Por pior que pareça, o problema tem cura. “O início do tratamento da paralisia do carrapato consiste na retirada de todos os parasitas do corpo do animal . Essa ação é fundamental porque é por meio dela que será impedida a liberação de mais toxinas no organismo do pet”, afirma Lívia.

A veterinária ainda alerta para quem acredita que apenas arrancar o carrapato resolve o problema. “A presa permanece no corpo do pet , o que promove a presença da toxina”, completa.

Leia também: Dicas de objetos simples para tirar os pelos dos pets da roupa

Após a remoção de todos os parasitas o animal vai expelindo gradativamente as toxinas de seu organismo, voltando ao normal. Porém, caso o pet apresente paralisia avançada – como a respiratória – é ideal que o pet seja internado.

Prevenção da paralisia do carrapato

Apesar de ser mais comum nas áreas rurais, os carrapatos estão presentes em diversos lugares, inclusive em cidades grandes. Praças, parques, e até mesmo casas antigas podem ter o parasita. Por isso é sempre importante seguir os seguintes passos para prevenir o problema:

  • Banho e tosa com frequência;
  • Uso de carrapaticidas;
  • Inspecionar o pet para verificar se existem carrapatos presos nele;
  • Manter o ambiente em que o pet fica sempre limpo e seco, assim como o resto da casa.
Fonte: IG PET