Guarda Municipal desenvolve mais um projeto social ‘Judô da Guarda’ em Várzea Grande

8

A oferta de atividades complementares à escola, aliada à inserção social  e ao acompanhamento da evolução motora de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, será mais uma das estratégias adotada pela Guarda Municipal de Várzea Grande, que passa a desenvolver, a partir do dia 1º de outubro o projeto ‘Judô da Guarda’. A ação conta com a parceria da Associação Várzea-grandense de Judô.

Inicialmente, o projeto irá contemplar cerca de 50 crianças e adolescentes de 4 a 17 anos e que residem em bairros localizados próximos à base do comando, como os bairros da Manga, Construmat, Ponte Nova, e abrangência. Oferecidas gratuitamente, as aulas serão ministradas de segunda a quinta-feira nos período matutino e vespertino. Porém um dos critérios para a participação do aluno é que ele tenha assiduidade escolar e boas notas, além da avaliação escolar do comportamento.

As inscrições poderão ser feitas até o final deste mês (setembro), na base da Guarda Municipal, onde foi realizada, no dia 11 (quinta-feira) uma aula demonstrativa, sobre os conceitos  da luta além de informações básicas sobre esse tipo de modalidade de arte marcial.  

O Guarda Municipal Juliano Lemos, que também estará ajudando a coordenar o ‘Judô da Guarda’, disse que este projeto tem por objetivo oportunizar atividades no contraturno escolar, e ao mesmo tempo, aliar a prática de esporte, cidadania e o civismo. “Queremos que os alunos possam ter uma mudança de comportamento, que saiam de ambientes negativos e que pratiquem o bem, uma vez que o judô tem como pilares a ajuda mútua, progresso, prosperidade. Para as crianças, o judô, assim como qualquer arte marcial, desenvolve a autodefesa, melhora a concentração, a disciplina, a coordenação motora e a respiração”.

Para o secretário de Defesa Social, Evandro Homero Dias, e também Comandante da Guarda Municipal, a iniciativa ‘Judô da Guarda’ se enquadra em mais um projeto social realizado pela corporação em  Várzea Grande. “Assim como o Teatro de Fantoche, que atua nas unidades da Rede Municipal de Ensino, que de  forma lúdica, através de peças que tratam valores, ética e cidadania, também possui o projeto Pedal da Guarda, que  tem atraído centenas de pessoas, num convívio de interação e familiar para a prática saudável e esportiva. Agora mais este projeto social ,o Judô da Guarda, que vai aproximar crianças e jovens da corporação e oportunizar mais uma atividade no contraturno escolar. São ações que somadas tiram as crianças de áreas de perigo, e as ocupam com aprendizado”, ressaltou o secretário.  

A instrutora de judô, Sara Mikaele Farias, disse que um dos benefícios de se praticar essa modalidade de arte marcial é justamente trabalhar a disciplina, o respeito, além de proporcionar uma atividade física para o corpo.

“O judô também auxilia na socialização da criança e adolescente ao convívio familiar e social por meio dele também oportuniza várias experiências dentro da modalidade esportiva, e quem sabe desperta e nasçam novos campeões. Como representante da Associação Várzea-grandense de Judô, sentimos a necessidade de realizar essa parceria em função da base da Guarda Municipal estar localizada em um ponto onde se encontram comunidades que precisam muito de projetos sociais. Na região estão localizados vários bairros carentes e o que queremos  é estender esta oportunidade, em parceria com a Guarda Municipal a estas crianças e jovens. Nossa proposta é envolver crianças e adolescentes que moram em  áreas de riscos sociais para que possam ter uma formação, e acima de tudo, que tenham valores como disciplina, respeito, companheirismo”, disse a atleta, afirmando que o judô é uma arte para a vida toda.

Sara Farias disse ainda que as aulas serão realizadas de forma intercaladas levando em consideração a idade das crianças. “Nas segundas e quartas-feiras participam jovens de faixa etária de 13 a 17 anos. Já nas terças e quintas-feiras será a vez dos alunos com a faixa etária de 4 a 12 anos. As aulas serão realizadas nos dois períodos no contraturno escolar do aluno”, completou. 

O superintendente de Esportes do município, Jadir Pereira, destacou a importância de projetos como esse que esta sendo lançado pela Guarda Municipal, em parceria com a Associação Várzea-grandense de Judô, uma vez que vai atender a crianças e jovens que moram em localidades com índices de criminalidade. “É importante que esses jovens possam ter novas perspectivas de vida e o esporte éum dos caminhos. A Guarda Municipal além de estar fazendo o trabalho repressivo e preventivo na cidade, também esta promovendo ações sociais e de cidadania. Realmente essa força de segurança esta fazendo um trabalho social de suma importância na melhoria da qualidade de vida desta parcela da população”, elogiou.

Já o vereador Valdemir Bernardino de Souza (Nana), disse que conhece e acompanha as atividades realizadas pela Associação Várzea-grandense de Judô, que atua em diversos bairros da cidade com esse  trabalho social, na inserção de crianças e adolescente para a prática desta modalidade de esporte. “Essa parceria com a Guarda Municipal é salutar e agrega valores sociais. Nós da Câmara Municipal aprovamos a expansão de projetos sociais, quer seja nas áreas de Educação, Cultura, Esporte, Assistência Social e agora o da Guarda Municipal. Todos somam por uma cidade melhor”, afiançou.  

ARTE MARCIAL: No idioma japonês – o judô ou juu dou – significa ‘caminho suave’ ou ‘caminho da suavidade’. Por meio desta arte marcial é possível fortalecer corpo, mente e espírito de forma integrada, preparando seus praticantes para uma convivência harmônica em seu ambiente social e estimulando uma competição sadia. O judô melhora na flexibilidade corporal e condicionamento físico. Essa modalidade inclui alongamentos e aquecimentos do início ao fim das aulas.

O Judô tem como principal filosofia a plena sintonia física, mental e espiritual. Sua metodologia envolve bastante contato físico e técnicas voltadas para a imobilização e autodefesa. Esse esporte emprega uma grande diversidade de movimentos velozes somados a estratégias sagazes de raciocínio. Na prática do Judô é utilizado apenas o próprio corpo para dominar o oponente, sendo proibido usar armas e demais apetrechos com essa finalidade.

A faixa utilizada pelo praticante do esporte muda de cor de acordo com o grau de evolução atingido pelo lutador. Indo da marrom, usada pelos lutadores iniciantes, à preta, ostentada apenas pelos que chegaram ao grau mais alto de técnica e disciplina dentro do judô.

 

Fonte: AMM