O papel de Everton Ribeiro no Flamengo, o melhor ataque do Brasileirão

16

Único jogador do ataque rubro-negro a não chegar nesta temporada, meia abre espaço para companheiros e conduz ataque do Fla

Everton Ribeiro, capitão do Flamengo no Campeonato Brasileiro

Créditos: Alexandre Vidal/Flamengo

Os números não escondem: ninguém ataca tão bem neste Brasileirão quanto o Flamengo. Foram 42 gols marcados neste primeiro turno. Apesar de muitas vezes não ser o responsável por colocar a bola na rede, Everton Ribeiro tem parte fundamental nesse desempenho.

Do temido quarteto de ataque do Flamengo, Everton é o único que não foi contratado nesta temporada. Ao lado dele, estão Gabriel Barbosa, Bruno Henrique e De Arrascaeta. Os três são os principais artilheiros do Flamengo na competição, com 16, 8 e 7 gols, respectivamente.

Everton Ribeiro, por outro lado, foi às redes apenas uma vez: na vitória por 3 a 1 sobre o Grêmio, no Maracanã. Mas isso está longe de incomodá-lo. Neste sábado, foi dele o passe que antecedeu o golaço de Gabigol diante do Santos.

– É muito bom o momento que nossos atacantes vivem. Todo mundo se ajuda, não tem vaidade de quem faz o gol. Todos trabalham para a vitória da equipe. Isso faz com que tenhamos cada vez mais confiança entre nós e possamos desenvolver esse futebol bonito que vem acontecendo. Quem tem a ganhar com isso é o Flamengo – destacou o meia.

Essa não é a primeira vez que Everton faz parte de um dos melhores ataques do Brasileirão. É, na verdade, comum para ele. Os três times que mais marcaram em um primeiro turno de Brasileirão tinham um jogador em comum: o próprio Everton Ribeiro. Em 2013 e 2014, anos em que o meia foi eleito o Craque do Brasileirão, o Cruzeiro terminou a primeira metade do campeonato com 42 e 41 gols feitos, respectivamente.

A guinada ofensiva do Flamengo no campeonato não veio em um momento tão bom para Everton. Durante a parada para a Copa América, o técnico Jorge Jesus chegou e mudou boa parte do funcionamento do time. Enquanto isso, o meia tratava um edema ósseo no pé esquerdo.

Ainda assim, ele soube espera chegar sua vez. De volta ao time titular, herdou a braçadeira de capitão e retomou seu papel dentro do ataque do Flamengo. O futebol de Everton Ribeiro nem sempre aparece nas estatísticas, mas não deixa de ser fundamental por isso. 

Everton Ribeiro, o articulador

Por mais que nem sempre apareça com gols, Everton Ribeiro brilha na hora de organizar o jogo. É o terceiro maior garçom do campeonato, cinco assistências. Apenas Dudu (6), do Palmeiras, e o uruguaio De Arrascaeta (7) o superam.

Como se não fosse suficiente, o capitão rubro-negro ainda ajuda com as chamadas “assistências secundárias”. Isto é, o passe que antecede a assistência. Neste Brasileirão, o meia apareceu desta forma em três ocasiões. Há também, por fim, os gols gerados por rebotes após jogadas criadas por ele.

Everton Ribeiro pode não ser o jogador mais badalado do elenco do Flamengo. Provavelmente, seu nome não está na maioria das camisas dos torcedores rubro-negros. Mas sua importância dentro de campo é facilmente notável, o que não chega a ser exatamente uma novidade no Campeonato Brasileiro.

<!–

–>

CBF