Vítimas de incêndio em hospital do Rio morreram por asfixia, diz Polícia Civil

19
source
Hospital Badim pegando fogo arrow-options
Reprodução

Hospital Badim, no Rio de Janeiro, começou a pegar fogo por volta das 18h30 desta quinta (12)

A Polícia Civil confirmou no início da tarde desta sexta-feira (13) que a morte das vítimas do incêndio que atingiu o Hospital Badim, na Zona Norte do Rio, foi provocada por asfixia. De acordo com a delegada Gisele de Lima Pereira, subsecretária de gestão administrativa da Polícia Cívil, os dez corpos trazidos para o Instituto Médico Legal de São Cristóvão foram identificados por exames de papiloscopia.

A Polícia Civil também vai apurar se um pico de luz pode ter causado o incêndio . A informação da breve queda de energia foi passada por familiares de pacientes, mas a companhia de energia Light nega o fato.

Leia também: “Minha mãe foi assassinada”, diz filho de idosa morta em incêndio de hospital

A perícia técnica do Instituto de Criminalista Carlos Éboli começou por volta das 8h desta sexta-feira e ainda não tem previsão para acabar. Até o momento, os agentes apreenderam aparelhos de armazenamento do circuito interno de câmeras.

“A perícia ainda está em andamento. Analisando as imagens vamos poder confirmar se houve realmente o pico de luz ou não, e depois temos que ver tecnicamente se isso pode ter causado algum curto. Vamos verificar se há imagens da existência do fogo e da propagação. Só com a prova técnica do perito e com as filmagens, que nós vamos ver o que aconteceu”, explicou o delegado Roberto Ramos.

Através da assessoria de imprensa, a Light informou que não houve registro de interrupção na rede elétrica da empresa antes do incêndio.

Leia também: “É preciso ver se não houve sabotagens”, diz Crivella sobre incêndio em hospital

O subsolo do Hospital Badim está alagado, segundo a polícia, por causa da água usada para combater o incêndio. No local, havia um aparelho de raio x, mas o delegado descartou a possibilidade de vazamento de material radioativo.

Um dos prédios do hospital, sitiado no número 390, foi administrativamente interditado para que seja realizado o trabalho da perícia.

De acordo com a unidade particular, no momento do incêndio, havia 103 pessoas internadas. Cerca de 90 foram transferidas para diversos hospitais públicos e particulares da região; confira alguns deles:

. Hospital Israelita Albert Sabin (Maracanã)
. Hospital São Vicente de Paula (Tijuca)
. Hospital Municipal Souza Aguiar (Centro)
. Hospital Copa D’Or (Copacabana) – 6 pacientes
. Hospital Quinta D’Or (São Cristóvão) – 52 pacientes
. Hospital Norte D’Or (Cascadura) – 5 pacientes
. Hospital Caxias D’Or (Duque de Caxias) – 15 pacientes
. Hospital Rios D’Or (Jacarepaguá) – 1 paciente

Fonte: IG Mundo