Humberto Costa defende liberdade do ex-presidente Lula, preso há 500 dias

7

O senador Humberto Costa (PT-PE) voltou a defender a liberdade de Luís Inácio Lula da Silva e ressaltou que o ex-presidente está preso injustamente há exatos 500 dias, num processo que atingiu o estado de direito. Segundo ele, os integrantes da Operação Lava Jato — especialmente o procurador Deltan Dallagnol e o então juiz, Sérgio Moro — atuaram, nos casos envolvendo Lula, inebriados pelas perspectivas de lucros e de caráter político obtidas com a projeção nacional que a operação alcançou.

O parlamentar disse ainda que no caso de Sérgio Moro, a sua aproximação com o presidente Jair Bolsonaro ocorreu por intermédio do atual ministro da Economia, Paulo Guedes. Durante o discurso, Humberto Costa citou uma reportagem do jornal Folha de São Paulo, que revelou que Guedes foi poupado pelo então juiz federal de investigação por suposto repasse de dinheiro a empresa de fachada.

— Se a Lava Jato foi diminuída por alguém, foi diminuída por Sérgio Moro, por Deltan Dallagnol, e por todos os agentes que praticaram crimes em nome do Estado, com a finalidade de atingir seus objetivos, muitos dos quais espúrios e pessoais — disse.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)