Câmara concede Moção de Aplausos a motociclistas

9
A Câmara Municipal de Cuiabá realizou na última sexta-feira, dia 16, uma sessão solene em homenagem aos motociclistas da Capital. A solenidade foi requerida pelo presidente do Parlamento Municipal, vereador Misael Galvão (PSB).
Cerca de 40 motociclistas e motoqueiros lotaram o plenário do Legislativo Cuiabano e foram agraciados com moções de aplausos. O parlamentar abriu a sessão solene lembrando que começou a trabalhar como camelô utilizando uma motociclista. “Aquela motinha ainda está lá no shopping popular”, observou.
De acordo com ele, foi devido a essa admiração que nutre por motoqueiros e motociclistas, e levando em consideração as várias formas de se utilizar o veículo — seja por lazer, esporte, meio de transporte ou trabalho— que apresentou um projeto de lei que beneficiou a todos os mototaxistas da Capital.
O vereador Abílio Júnior (PSC) — convidado à Tribuna — fez notar que pelo menos 73% dos acidentados que chegam ao Pronto Socorro de Cuiabá são de ocorrências que envolvem motocicletas e destacou que é preciso mais investimentos em educação no trânsito, prevenção e sinalização.
Apesar dos perigos o veículo sobre duas rodas ganhou o mundo. E em Cuiabá essa influência cultural está presente nos diversos clubes ou grupos de motociclistas que se reúnem para curtir ou promover ações beneficentes.
O presidente do Moto Club MT 65, Lelo Soares, solicitou a construção de um autódromo. Ele disse que para incrementar as aventuras, os motociclistas do estado têm que viajar para outros estados. Nessas perigosas viagens – 800 a mais de 2000 km, para Goiânia, Campo Grande ou São Paulo — já foi registrada a morte de alguns companheiros.
Lelo argumentou que os autódromos vão além de pistas para carros e motos. “São locais que a semana toda tem eventos, seja para reunião de empresas, famílias e amigos. Além disso, no entorno funciona o comércio de peças, oficinas mecânicas, alimentação e muito mais. Convertendo-se em fator de desenvolvimento para a região”.
Já o presidente do MT Group, Márcio Fernandes, quer que as autoridades deem mais atenção ao problema do cerol, que tem ceifado vidas. Muitas crianças e adultos que soltam pipas pelas ruas utilizam um composto de cola e vidro ou limalha para untar a linha, afim de torná-la mais resistente. Essa mistura transforma-se em armadilha para quem trafega sobre duas rodas, chegando a degolar pilotos.
Fernandes sugeriu que sejam implementadas ações que levem conscientização às escolas, buscando mudar esse hábito perigoso.
Representante de um dos grupos que mais comercializam motocicletas no país, Isaac da Silva, fez o anúncio da doação de uma chácara para a construção do sonhado autódromo. Além de comerciante, ele se mostrou um incentivador do motociclismo onde, conforme ressaltou, existe um alto grau de amizade entre os membros.
MEDIDAS — Misael Galvão acolheu as solicitações e colocou sua equipe à disposição para ajudar a sanar as demandas de competência do Poder Público. Disse que vai disponibilizar assessoria para estudar e, se preciso, reformular leis que garantam mais segurança aos pilotos.
Quanto às obras do autódromo, propôs buscar apoio para arrecadar os recursos necessários, principalmente, por meio de emendas de deputados estaduais e federais, bem como de vereadores.
As motocicletas são mais do que veículos de lazer. Representando a categoria de mototaxistas, Nilo Soares, mostrou o quanto as motocicletas são úteis como meio de ganhar a vida. “Por dia, chegamos a rodar 300 km pela cidade”, destacou.
HISTÓRIA— A motocicleta foi inventada na Alemanha em 1885, por Gottlieb Daimer e Wilhelm Maybach. Eles adaptaram um motor a combustão interna em uma bicicleta, que naquela época era construída com madeira.
No Brasil, a motocicleta passou a ser fabricada em 1951 pela Monark. Hoje é um dos veículos mais vendidos no país. Os registros econômicos apontam um crescimento anual de mais de 17% nas vendas.

Etevaldo de Almeida | Câmara Municipal de Cuiabá