Apaixonada, Paula Fernandes conta detalhes do namoro: “Ele me acalma”

3
source

Mais leve e dedicada a si mesma, Paula Fernandes vive uma nova fase da sua vida pessoal. A cantora cresceu muito focada em se tornar uma artista reconhecida, mas nesse processo deixou de lado muita coisa. Atualmente, a mineira de Sete Lagoas tenta recuperar o tempo perdido e, em meio à agitada rotina, tem encontrado tranquilidade ao lado do namorado Rony Cecconello.

Leia também: Paula Fernandes revela desejo de gravar com Iza, John Mayer e Lady Gaga

Paula Fernandes e Rony Cecconello arrow-options
Arquivo pessoal

Paula Fernandes e Rony Cecconello se conheceram em uma fazenda e pensam em casamento no futuro


O casal se conheceu em uma fazenda através de um amigo. “Tem coisas que a gente não consegue expressar, eu só sei que foi amor à primeira vista”, revelou Paula Fernandes ao iG . “Ele me acalma, me trouxe uma paz que eu não tinha sentido ainda”, acrescentou.

Rony Cecconello é empresário, paulista e, assim como Paula, ama a natureza e também cavalos. “Isso ajuda porque acredito que um casal precisa ter gostos em comum”, pontuou a cantora que pensa em oficializar a união no futuro.

“Eu penso em casamento, mas é tudo muito recente, agora eu penso em construção. Estamos há pouco tempo juntos, mas espero que dê certo porque a gente tem que estar com uma pessoa que nos faz bem”, expôs Paula.

Romântica, a mineira afirma que sempre acreditou no amor. “Eu comecei a compor muito cedo e já falava de amor da forma como eu acredito. Sempre fui muito apaixonada, mas é claro que quando você está gostando de alguém é melhor, você fica mais feliz”, falou aos risos.

Depressão como ponto de partida 

Para entender que precisava cobrar menos de si mesma, Paula teve que enfrentar uma depressão . “Muitas vezes essa doença não é levada a sério, muita gente acha que é frescura, falta de trabalho ou de ocupação.” A história de superação da cantora acabou virando inspiração para muitos fãs e isso está fazendo com que ela fale cada vez mais dessa difícil fase.

Leia também: Paula Fernandes lança clipe de Juntos sem Luan e com participação dos fãs

“Eu não sou médica, mas eu já passei por isso, sei da sensação, dos sintomas, então posso falar um pouquinho da minha história. Fiquei impressionada com a quantidade de gente que começou a me mandar mensagens descrevendo os sintomas, as dificuldades e fazendo perguntas. É impressionante como isso virou utilidade pública e eu fico muito orgulhosa de poder ajudar”, enfatizou Paula que virou uma referência na luta contra a depressão.

Paula Fernandes arrow-options
Divulgação

Para Paula Fernandes, a depressão foi uma oportunidade de crescimento

Enfrentar a doença não foi algo fácil, mas a mineira explicou que encarou isso como uma oportunidade. “Eu me tornei a pessoa que eu sou hoje por causa desse começo, a depressão acabou sendo o ponto de partida para o nascimento desse pássaro de fogo que sou eu hoje.”

A depressão acabou sendo o ponto de partida para o nascimento desse pássaro de fogo que sou eu hoje

Se pudesse voltar no tempo, Paula daria um conselho a seus pais. “Eles me deram o melhor que podiam, eu não os culpo por nada, a gente foi vítima da ignorância, de não saber o caminho melhor a seguir, eles apenas iam fazendo o que tinham a capacidade de fazer. Então, o conselho para eles seria: ‘vocês precisam dar uma vida mais equilibrada para a Paula, ela vai trabalhar, mas vai ter um lado social também, o lado do lazer’.”

Devido a uma condição financeira precária, Paula começou a trabalhar cedo e acabou se privando de muitas coisas. “Eu tinha pouco convívio social, tinha poucos amigos, eu lembro que fui ao cinema pela primeira vez aos 15 anos, muitas coisas chegaram tarde e outras eu nem vivi. Agora, estou tentando resgatar isso”, comentou.

Leia também: Paula Fernandes já tentou se matar: “Foi minha mãe que me salvou”

De uns anos para cá, Paula Fernandes começou a mudar sua postura porque, mesmo curada da depressão, ela continuava com muitas travas sociais. “Resolvi uns problemas, outros foram surgindo e comecei a resolvê-los gradativamente até me tornar a pessoa que eu sou hoje. Eu me sinto mais leve e consigo lidar melhor com a minha timidez e seriedade”, concluiu.

Fonte: IG GENTE