Presidente de Portugal visita ferido em incêndio de Vila de Rei

11

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou esta manhã o civil ferido no incêndio de Vila de Rei, que foi transportado para o Hospital de São José, em Lisboa. Sobre a possibilidade de os incêndios terem tido início devido a mão criminosa, ele disse que “investigações pertencem às entidades criminais”.

Em declarações à RTP, o Presidente da República revelou que o homem “está a recuperar” e elogia o “Hospital de São José onde ele está sendo acompanhado”.

“Os sinais são de uma situação totalmente controlada e de uma evolução previsivelmente favorável. E isso é muito positivo”.

Em relação à possibilidade da origem dos incêndios que deflagraram sábado terem tido origem em mão criminosa, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que “não compete ao Presidente da República comentar”.

O Chefe de Estado revelou que tem mantido “um contacto constante com o ministro da Administração Interna e com os autarcas”.

Homem suspeito

A Polícia Judiciária com a colaboração da Guarda Nacional República de Castelo Branco, deteve um homem, de 55 anos, suspeito de crime do incêndio florestal, ocorrido ontem, dia 20 de julho, nas imediações da cidade de Castelo Branco.

Durante a madrugada, o suspeito, usando chama direta, colocou um foco de incêndio em zona florestal povoada com pinheiros e mato, dentro de uma vasta mancha florestal, que teria proporções mais gravosas caso não tivesse havido uma rápida intervenção dos bombeiros de Castelo Branco.

A atuação do suspeito colocou em perigo a integridade física e a vida de pessoas, bem como habitações e a grande mancha florestal.

O detido será submetido ao primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação adequadas.

 

Edição: Valéria Aguiar