Após gol contra do meio de campo, Fortaleza reage e empata com o Atlético-MG

16

Lance

Atlético-MG e Fortaleza arrow-options
Reprodução / Atlético-MG

Atlético-MG e Fortaleza ficaram no empate no Horto

O duelo entre Atlético-MG e Fortaleza terminou em um empate por 2 a 2, gols de Juninho, contra e a favor do Tricolor, Cazares, para Galo, e Carlinhos encerrando o placar. A partida no horto foi um jogo de reviravoltas. O Galo saiu na frente por 2 a 0, mas cedeu o empate no segundo tempo, graças a um empenho enorme dos cearenses, que não deixaram de buscar o resultado, mesmo jogando fora de casa e também, pela desatenção alvinegra, que não soube administrar o resultado parcial para ficar com os três pontos. . 

O resultado foi ruim para os mineiros, pois caso vencessem, subiria uma posição na tabela, e chegaria ao terceiro lugar na classificação do Brasileiro. Para o Tricolor, a igualdade foi ótima, pois voltou para casa com um ponto que nem estava nos planos iniciais do time nordestino. 

Início avassalador do Atlético-MG 

Com menos de 20 minutos de jogo, no primeiro tempo, o Galo já estava vencendo por 2 a 0 , gols de Cazares e um contra do volante Juninho. O resultado parecia que encaminharia uma goleada atleticana, ou mesmo uma administração do placar par garantir os três pontos no Horto. Mas, o que se viu, foi outra história. 

Desatenção e reação do Fortaleza

Se no primeiro tempo os cearenses tiveram azar no gol contra de Juninho e um placar desfavorável, na etapa final, a equipe de Rogério Ceni voltaram ligados, focados e foram em busca do empate no Independência. De um jogo com desenho todo a favor do Atlético-MG, a partida se transformou em uma grande confusão, graças a confusa arbitragem, o pouco futebol dos mineiros e uma aplicação do Fortaleza, que não desistiu de tentar sair de BH com um ponto na bagagem. 

Arbitragem confusa e dois pênaltis perdidos

A árbitra Edina Alves Batista teve um primeiro tempo tranquilo no seu trabalho, já que os dois times não estavam causando problemas. Porém, no segundo tempo, a condução do jogo ficou confusa por parte da paulista, que marcou um pênalti para o Fortaleza com o VAR, mas sem muita convicção. 

Ela foi muito pressionada pelos jogadores por suas decisões, o que parece ter surtido efeito. Alguns minutos depois, perto dos 33 minutos da etapa final, Edina marcou outro pênalti, desta vez para o Galo. Alerrandro foi para a cobrança, perdeu a penalidade, defendida por Felipe Alves. Mas, a árbitra mandou voltar, alegando que o goleiro do Fortaleza se adiantou. 

Nova confusão. Muita pressão, mas a penalidade foi retornada, com nova perda, desta vez, com Luan desperdiçando a nova cobrança. O Maluquinho do Galo foi muito vaiado pela torcida, algo raro nesses anos em que veste a camisa atleticana. 

De esperança de gols a jogos muito ruins. O jovem Alerrandro mais uma vez não conseguiu mostrar bom jogo em duelos de nível melhor. Foi uma nulidade no ataque atleticano, perdendo inclusive um pênalti, que poderia ter dado a vitória para o Galo.

Cenas tristes na arquibancada

Após a perda dos dois pênaltis pelo Galo, vários torcedores se revoltaram, jogaram objetos no campo e iniciaram uma briga no setor atrás do gol do Fortaleza. A confusão demorou pouco e foi controlada pela polícia mineira. 

Juninho, do inferno ao céu

O volante do Fortaleza fez um gol contra no primeiro tempo, foi “zoado” pela torcida do Galo,mas não se entregou, mostrou raça, marcou o gol de empate do time cearense e saiu de campo como símbolo da raça do Fortaleza. 


Agenda dos times

Na próxima rodada do Brasileiro, o Atlético-MG joga contra o Goiás, domingo, 28 de julho, no Serra Dourada. Antes, na quarta-feira, 24 de julho, o Galo vai ao Rio para encarar o Botafogo, pelo duelo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Já o Fortaleza terá pela frente o Corinthians, domingo, 28, no Castelão, em duelo da 12ª rodada do Brasileiro.