Dr. Xavier exige que as unidades de Saúde em reforma sejam entregues logo à população

15
O vereador cuiabano Dr. Xavier voltou a defender hoje (12) a conclusão urgente das reformas operacionalizadas em várias unidades de Saúde da capital, entre elas o Centro de Saúde do Novo Terceiro e o PSF do Jardim Independência, sediados na Região Oeste da capital. Ambas estão paralisadas há meses, e a interrupção no atendimento clínico tem trazido transtornos a esses bairros e comunidades adjacentes, advertiu o parlamentar. Ele sublinhou “entender” que houve eventuais dissabores de ordem administrativa na condução dos serviços, incluindo falência das empresas contratadas, o que gerou paralisação das atividades de reforma. “Mas esse problema já foi superado pela Secretaria Municipal de Saúde, e não há, agora mais nenhuma desculpa para protelar os trabalhos e concluir logo essa reforma”.
Uma das batalhas do vereador Dr. Xavier é para que o projeto de ampliação/reforma dos dois polos clínicos administrados pelo município contemplem a instalação de setor odontológico, o “dentista de família”, reivindicação geral das comunidades que ele assumiu como luta prioritária. “Isso já está acertado, inclusive com áreas disponibilizadas no Centro de Saúde do Novo Terceiro e PSF do Jardim Independência. Ambos terão duas cadeiras odontológicas para assistir os comunitários. Não admitiremos, de agora em diante, que seja procedida qualquer reforma em unidades de Saúde sem a inclusão desse importante instrumento de assistência social à população carente de Cuiabá. Toda unidade municipal do SUS deve contar com Setor de Odontologia, o que deveria ser praxe antiga. Atualmente, somente algumas dispõem desse dispositivo”.
A longa interrupção do atendimento no Novo Terceiro (paralisado há anos) e Jardim Independência, além de provocar transtornos aos pacientes da comunidade, ainda observou Dr. Xavier, continua acarretando desconforto geral nos Postos de Saúde da Cidade Verde e Cidade Alta, pois sobrecarregou a capacidade diária de atendimento. “Essas unidades acolheram a grande demanda de pacientes procedentes do Novo Terceiro e Jardim Independência. A partir do início da reforma, os servidores dos dois núcleos SUS foram remanejados para auxiliar no atendimento clínico na Cidade Alta e Cidade Verde. Porém, é óbvio, em ambos falta espaço físico suficiente para acomodar tanta gente. Resultado: o desconforto é geral, tanto para pacientes e funcionários”.
João Carlos de Queiroz – Assessoria Gabinete