Polícia Civil apreende R$ 7,7 mil em poder de facção atuante com tráfico de drogas em Alto Garças

15

Assessoria | PJC-MT

Mais de R$ 7,7 mil em dinheiro, relacionado ao comércio de entorpecentes, foram apreendidos pela Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (24.06), em Alto Garças (357 km ao Sul), durante cumprimento de dois mandados de busca e apreensão domiciliar.

As ordens judiciais foram decretadas com base em investigações com alvo em uma facção criminosa atuante com o tráfico de drogas no município. A ação resultou na prisão em flagrante de T.R.S., esposa do líder do grupo criminoso, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Em buscas na residência da suspeita, no bairro Mato Grosso, foi encontrada além da grande quantidade de dinheiro, dois veículos (um automóvel Fiat Uno e uma motocicleta Honda Fan) adquiridos do lucro da traficância. A suspeita é considerada “caixa” da facção, e o seu marido atualmente encontra-se recolhido em uma unidade prisional em Cuiabá.

As investigações, realizadas pela Delegacia de Alto Garças com apoio do Núcleo de Inteligência (NI) de Alto Araguaia, iniciaram no mês de abril com objetivo de qualificar um grupo criminoso, que vinha usando um lava-jato para praticar o tráfico de drogas na região.

Durante diligências, os policiais civis conseguiram identificar os envolvidos na atividade ilícita. Diante dos levantamentos, nos meses de maio e junho, a Polícia Civil e a Polícia Militar fizeram diferentes operações visando a desarticulação do grupo comandado pelo reeducando Vanderlei Rosa de Araújo, (marido de T.R.S.), detido na Capital.

Desarticulação do grupo

De acordo com o delegado de Alto Garças, José Mauro Dias de Souza, no decorrer dos dois meses foram presos quatro membros da quadrilha. Na ocasião, a Polícia Militar efetuou a prisão do primeiro suspeito. Marcos Rogério Pereira de Oliveira,  foi surpreendido na cidade de Jaciara por furto de uma caminhonete F4000, cometido em Alta Garças.

“Após esse fato, os policiais civis e militares em conformidade a outro mandado de busca e apreensão, lograram êxito em prender Otávio Augusto Felício de Almeida na posse de uma arma e fogo, maconha, balança de precisão, entre outros produtos usados para misturar entorpecentes”, disse o delegado.

Passado alguns dias e ainda em continuidade as investigações, os outros dois integrantes da associação criminosa, João Vitor da Silva e Robert Henrique Souza, tiveram os mandados de prisão temporária cumpridos pelas equipes da Polícia Civil e Polícia Militar.

Diante dos indícios levantados, o cumprimento ao mandado de busca na casa da suspeita T.R.S foi realizado intencionalmente, na segunda-feira (24), após o feriado, com intuito de apreender valores provenientes do tráfico de drogas e que seriam depositados em benefício da facção.

A Polícia Civil também representou pelo pedido de bloqueio das várias contas bancárias em nome dos investigados e outros possíveis envolvidos. “O Ministério Público e o Poder Judiciário vem colaborando com os trabalhos policiais, sendo mais de trinta contas bancárias bloqueadas para congelamento de valores e análise das movimentações financeiras”, destacou o delegado.

Conforme apurado, a associação tinha como principal fonte lucrativa a venda de drogas. Todo dinheiro obtido era repassado para esposa de Vanderlei Rosa de Araújo, responsável pelos depósitos bancários.

Tentativas de homicídio

Os envolvidos também respondem por dois crimes de tentativa de homicídio. Eles são apontados como os autores do conhecido “salve” (corretivo quando alguém desobedece ordens dos líderes da facção).

Na primeira ocorrência, a vítima que era usuário de drogas foi atropelado por uma motocicleta, várias vezes. Já o segundo caso aconteceu após os suspeitos invadirem uma casa e esfaquearem outro usuário. Os fatos ocorreram porque as vítimas cometeram furtos no bairro Vila Morena.

O delegado de Alto Garças informou que além do crime de associação para o tráfico de drogas e tentativa de homicídio, os suspeitos serão indiciados por furtos e adulteração de veículos.

 

Fonte: PJC MT