Solteira no Dia dos Namorados? 3 motivos que provam que isso não é um problema

15

Por onde você passa é declaração de amor de lá, presentes fofos de cá, gente trocando carinho de um lado, casais se beijando de outro… e assim o Dia dos Namorados se transforma numa espécie de festa mais legal do ano, mas você, que está solteira, foi a única que não foi convidada. Triste realidade… ou não?

Leia também: Mulheres solteiras e sem filhos são pessoas mais felizes, diz especialista

Casal saindo e mulher solteira olhando de fundo
shutterstock

Não vai comemorar o Dia dos Namorados com o mozão? Não tem problema! Ser solteira não deve ser sinônimo de infelicidade

Não é porque suas investidas amorosas não estão dando certo que você precisa se sentir para baixo. Afinal, estar com alguém nem sempre é garantia de felicidade e ser solteira está longe de ser a pior coisa do mundo. Mas, para sair das frases clichês, separamos quatro motivos reais para te mostrar que esse realmente não é o fim do mundo e está tudo bem não ter um namorado agora.

1. Autoconhecimento é enriquecedor 

Mulher sozinha no escritório feliz
shutterstock

Se conhecer é entender suas fraquezas e avaliar suas atitudes para que você esteja sempre em evolução

Não é só uma frase para te animar: estar sozinha pode ser, sim, uma ótima oportunidade para se conhecer melhor. Voltar seus pensamentos para você geralmente te faz refletir sobre suas fraquezas, reavaliar comportamentos, expandir os pensamentos e se entender. Todas essas atitudes são muito importantes para que você evolua emocionalmente, alcance maturidade e tenha uma relação harmoniosa consigo mesma. 

Para a coach líder de inspiração no SBGroup, Lara Dias, apostar no autoconhecimento também é um jeito de evitar a auto sabotagem. “Essa é uma das habilidades mais importantes para ter uma vida mais saudável, equilibrada e de sucesso. Responda a perguntas como: ‘O que eu desejo?’; ‘Por que não alcanço meus objetivos?’; ‘Quando estou perto do meu objetivo, quais os sentimentos que me impedem de avançar?’ e ‘O faz com que me sinta menor?’”, ensina.

O exercício não é dos mais fáceis, porque pode exigir que você saia da sua zona de conforto, mas os resultados são sempre compensadores e só vão te fortalecer. Quanto mais a pessoa entende sobre si mesma, mais ela compreende quais comportamentos e atitudes desencadeiam determinadas situações que ela não gostaria que ocorresse. Mais ela consegue definir o que quer e o que merece – o que evita aceitar qualquer pessoa ao seu lado em um futuro relacionamento, por exemplo. 

2. Amor-próprio salva 

Mulher se abraçando
shutterstock

Amor-próprio é uma das qualidades mais importantes para conquistar a felicidade plena

Como se preocupar em amar alguém se você não está amando a si mesma? Cultivar o amor-próprio é essencial para a felicidade plena. Estar bem consigo mesmo fortalece sua confiança e autoestima, o que dá ânimo para seguir sempre em frente, livre de carência emocional e dependência física. 

É importante lembrar que amor próprio não é se refere apenas a questões físicas, mas também deve ser expandido para o campo emocional. Aceitar suas condições, incluindo as negativas, sem culpa e de maneira leve, respeitando seus limites, é o caminho certo para entender que ninguém pode te fazer mais feliz do que você mesma. 

Leia também: Como trabalhar o amor próprio para aumentar a autoestima e a autoconfiança

3. Aproveite a independência 

Mulher de braços abertos na praia
shutterstock

Ser livre e independente é empoderador! Experimente a sensação e vá atrás do que realmente te faz feliz

É tempo de se descobrir! Aproveitar que não há a responsabilidade de um relacionamento e explorar sua liberdade. Crie coragem e tente coisas novas: aquele curso de música que você sempre quis, uma viagem para um lugar desconhecido, um corte de cabelo da moda… qualquer coisa que te faça bem é válido neste momento. 

Ter tempo para se dedicar a si mesmo é um dos maiores desafios de um namoro, o que faz dessa a fase perfeita para que você invista ao máximo em seus planos e sonhos. Assuma o controle da sua vida e descubra os prazeres dessa sensação. 

Bônus: o que fazer no Dia dos Namorados se você é solteira

Mulheres cinema
shutterstock

Ir ao cinema sozinha ou com amigas pode ser uma boa pedida para se divertir

Agora que você já sabe que não precisa estar acompanhada no Dia dos Namorados para ser feliz, que tal aproveitar a data para se divertir? Curtir o período com os amigos ou até valorizando a própria companhia é uma alternativa que está atraindo cada ano mais adeptos. Por isso, a equipe do Peixe Urbano, selecionou algumas dicas para curtir a solteirice sem sofrência. 

  • Saia com os amigos: um barzinho para tomar uma cerveja ou um drink com os companheiros solteiros pode ser uma boa pedida. Bater um papo, fazer novas amizades e lembrar que eles são, muitas vezes, melhores que um parceiro romântico. Uma dica é evitar locais calmos, pois podem ser buscados por casais. 
  • Curta uma balada: ir dançar e extravasar na pista sozinho não é ruim, muito pelo contrário, pode atrair olhares e ser uma boa oportunidade de conhecer gente nova. A ideia é encontrar uma balada que tenha a vibe que te agrade e se jogar! 
  • Assista a um filme: o melhor de ir ao cinema sozinho é poder escolher a produção, onde sentar, o horário e ainda comer a pipoca toda. Mais fácil de decidir o que ver e sem a necessidade de tentar agradar o outro. A recomendação é simples: procure não assistir dramas e romances. 
  • Faça um agrado para si mesmo: não ter ninguém para presentear pode ser um dos lados bons de estar solteiro no Dia dos Namorados. Um bom presente para si mesmo, que ajuda a se curtir e ainda combater o stress do cotidiano, é passar o dia no Spa. Afinal, por que não aproveitar esse dinheiro para se cuidar? 
  • Contrate um ensaio fotográfico: para levantar a autoestima, nada como um ensaio fotográfico bacana. As fotos podem ajudar você a ter um novo olhar sobre sua beleza. A ideia é lembrar que não precisa de ninguém para se sentir bem e está tudo bem ser solteira .

Leia também: Mulheres ficam mais satisfeitas em ser solteiras do que homens, aponta estudo