Telegram x Whatsapp: como funciona a privacidade desses aplicativos?

9

O Telegram voltou a ser assunto na internet depois que uma conversa entre o atual Ministro da Justiça Sérgio Moro e procurador do Ministério Público Federal em Curitiba Deltan Dallagnol foi vazada no domingo (9). Tudo porque o app russo utilizado para trocar mensagens promete ser um dos mais seguros entre outros que oferecem esse tipo de serviço mas, ainda assim, não foi o suficiente para que os diálogos não viessem à tona. 

Leia também: 4 atitudes que você deve evitar para não ter a conta no WhatsApp invadida

Tela inicial do Telegram
shutterstock

O Telegram é um aplicativo russo de troca de mensagens e promete ser um dos mais seguros do mercado

Indo além do debate político que envolve o caso divulgado pelo  The Intercept Brasil , a questão da privacidade dos apps está sendo discutida. Como funciona a segurança no Telegram ? E, ainda mais, qual a diferença para o queridinho e popular  WhatsApp

Segundo o site do app usados por Moro e Dallagnol, há duas “garantias” quando o assunto é privacidade:

  1. Proteger suas conversas privadas de terceiros “bisbilhoteiros”, como funcionários, empregadores, etc.
  2. Proteger seus dados pessoais de terceiros, como profissionais de marketing, anunciantes, etc.

Apesar de oferecer criptografia de ponta-a-ponta e ferramenta de privacidade , como os Chats Secretos, para permitir que essas conversas privadas e dados não sejam acessados por outras pessoas, e a efetividade da proteção do app ao usuário já foi contestada.

Um estudo divulgado em 2016 pela Electronic Frontier Foundation (EFF), fundação voltada para a proteção dos direitos civis no ambiente digital, avaliou o serviço de forma negativa por usar duas formas diferentes de criptografia: uma para conversas comuns e outra voltada para os Chats Secretos. Nesse caso, a segunda é mais sofisticada do que a primeira. 

Como funciona o Telegram e qual a diferença do app para o Whatsapp?

Quando você começa uma conversa pelo Telegram, os dados “viajam” do seu aparelho para o do seu amigo com uma “máscara de segurança” para que só vocês possam ler o conteúdo, já que o que você enviou fica embaralhado na nuvem.

Esse método de segurança, porém, só está disponível dentro da opção do Chat Secreto, onde o usuário consegue enviar textos, fotos e vídeos que  se “autodestroem” depois de serem lidos. 

Nas conversas comuns, o sistema de privacidade funciona diretamente entre o seu aparelho e os servidores do app — o que permite que as mensagens sejam decodificadas na nuvem. Esse método é justificado para que o usuário possa acessar as conversas pela versão desktop. 

Já quando falamos do WhatsApp, a criptografia de ponta-a-ponta funciona em todos os tipos de conversa, ou seja, não é preciso acessar um “modo secreto” para ter essa proteção.

A maior diferença, portanto, está no fator do app oferecer backup de conversas automaticamente, o que torna a proteção mais frágil, já que as conversas ficam armazenadas no iCloud ou Google Drive, enquanto o Telegram deixa esse histórico na nuvem do próprio servidor.

IG TECNOLOGIA