Lei antiaborto opõe grandes estúdios de Hollywood e estado da Geórgia nos EUA

12
source

Uma verdadeira polêmica está rendendo assunto nos Estados Unidos. Tudo isso porque alguns estúdios de Hollywood estão ameaçando boicotar o estado da Geórgia, situado no sul do País, caso a lei antiaborto seja posta em vigor.

Leia também: Netflix se manifesta contra lei antiaborto nos Estados Unidos


Netflix
Divulgação

Netflix


Na última quinta-feira (30), a WarnerMedia, a Sony Pictures e a NBCUniversal se juntaram a um número crescente de estúdios, que inclui a Disney, que ameaçam tirar suas produções da Geórgia caso a tal lei seja colocada em prática. Importante observar que nos EUA, cada estado tem autonomia para legislar em relação à matéria.

“Vamos observar de perto a situação e, se a nova lei valer, reconsideraremos o estado como o lar de quaisquer novas produções”, declarou um representante da WarnerMedia à agência AFP. Vale lembrar que a empresa engloba grandes nomes como a HBO, a Turner e a Warner Bros.

A NBCUniversal, a Sony Pictures e a AMC Networks também alertaram que o projeto de lei sobre o aborto afetaria sua escolha para locações de suas produções.

Leia também: Estudo aponta ligação entre “13 Reasons Why” e aumento em suicídios

“Nós esperamos que as leis de batimentos cardíacos (como a lei também é chamada nos EUA) e leis similares em vários estados enfrentem sérios desafios legais e que não entrem em vigor enquanto o processo prosseguir no tribunal. Se qualquer uma dessas leis for mantida, isso afetará fortemente nossa tomada de decisão sobre onde produziremos nosso conteúdo no futuro”, declarou a NBCUniversal.

Já um porta-voz da Sony afirmou que a empresa ficará de olho em contestações legais à lei do aborto e agir de acordo.


Stranger Things
Divulgação

“Stranger Things”, da Netflix, é uma das produções gravadas na Geórgia

“Continuaremos monitorando esse processo em estreita consulta com nossos cineastas e roteiristas de TV, talentos e outras partes interessadas, enquanto consideramos nossas futuras opções de produção”, disse o porta-voz.

Vale lembrar que a Netflix foi o primeiro grande estúdio a se apresentar no início desta semana e criticar a legislação sobre o assunto, dizendo que, caso a lei entre em vigor, “repensaríamos todo o nosso investimento no estado”.

Leia também: Falta diversidade no cinema da Disney

Conhecida como a “ Hollywood do Sul”, o estado norte-americano se tornou, nos últimos anos, o terceiro maior centro de produção do País, ficando atrás de Los Angeles e Nova York, graças a créditos fiscais de até 30%, entre os mais generosos do mundo, oferece para empresas de produção de filmes e TV.

Grandes produções da televisão e do cinema americano foram gravados por lá. “Pantera Negra”, “Vingadores: Ultimato”, “Stranger Things”, “Ozark” e “The Walking Dead” são apenas alguns.

Assinado em 7 de maio deste ano pelo governador republicano Brian Kemp, o “projeto de lei de batimentos cardíacos fetais”, que entra em vigor no próximo ano, aponta que o aborto seria proibido logo nas seis semanas de gravidez. Isso provocou crescentes ligações de ativistas, atores e outras pessoas envolvidas na indústria cinematográfica para boicotar o estado da Geórgia.

Fonte: IG GENTE