Mais de 580 coordenadores pedagógicos e professores de Cuiabá são qualificados

5

Mais de 500 coordenadores pedagógicos e 83 professores da rede municipal de Educação estão participam de um ciclo de formação continuada dentro do Programa de Alfabetização Cuiabano (ProAC) até este sábado (18). A formação, que começou na quarta-feira (15), utiliza material pedagógico de vários projetos focados na alfabetização de alunos do 1º e 2º Anos entre eles, o ‘Novo Lendo Você Fica Sabendo: Letramento e Alfabetização’.

A metodologia utiliza material de apoio no processo formativo dos profissionais e na alfabetização dos alunos, entre eles jogos educativos e atividades dentro e fora da escola, como instrumentos educacionais para o aprendizado. “Nesse material, trabalhamos atividades ligadas ao social, a história e a cultura que levam a alfabetização na perspectiva do letramento”, explicou Solange Almeida, facilitadora e coordenadora das ações de formação e uso do material.

Para ela, a principal dificuldade envolvendo os alunos, a escola e a comunidade é fazer a associação entre a alfabetização e o letramento, de forma interdisciplinar, e de maneira que leve as crianças a vivenciar esse processo de forma efetiva.

Alfabetizar letrando, de acordo com Solange Almeida, pode ser a maior quebra de paradigmas da alfabetização no país. “No Brasil, esse processo ainda é bastante fragmentado. Mas, essa realidade vem mudando com um trabalho voltado para o contexto em que a criança se encontra. Esse é o nosso maior desafio, para que possamos ensinar de fato a criança. O que observamos hoje é que os alunos chegam ao 3º e 4º Anos e nas series posteriores, ainda sem essas habilidades devidamente compreendidas”, destacou a técnica, lembrando que esse processo vem desde os anos 80, durante o projeto pedagógico construtivista, que contribuiu bastante com a educação de base do país.

A assessora pedagógica da Diretoria de Ensino da SME, Josemeire do Nascimento Ferreira, coordenadora do Programa de Alfabetização Cuiabano (ProAC), disse que a Secretaria de Educação está desenvolvendo um conjunto de ações que envolvem desde a formação de professores e coordenadores, até o acompanhamento pedagógico dos profissionais da Educação e dos alunos, visando fortalecer o processo de alfabetização na rede.  

Nessa fase, os temas abordam questões específicas como a forma como a criança consolida o processo da escrita, habilidades de leitura e o contexto de alfabetização. “O resultado é a melhoria de alfabetização. Nossa meta é que as crianças concluam o processo de alfabetização já no segundo ano”, disse Josemeire do Nascimento.

A formação é realizada em cinco etapas ao longo do ano, sendo esta a terceira. Cada formação tem carga horária de 8 horas totalizando 40 horas tanto para o professor como para o coordenador pedagógico. 

“É muito importante a atualização dos técnicos para atender a clientela da rede. As crianças estão em constante mudança e a rede recebe professores novos com frequência. Temos que rever a educação a todo instante e, em linhas gerais, as nossas crianças hoje são diferentes, então a nossa metodologia precisa adequar-se a essa nova realidade onde elas tem um convívio maior com a cultura e a tecnologia. A escola precisa acolher essa nova realidade e trabalhar isso da melhor forma possível”, destacou a assessora pedagógica.

O secretário de Educação do Município, Alex Vieira Passos disse que as mudanças tem feito a diferença no Ensino público em Cuiabá. Os alunos tem à disposição um material didático de qualidade, que garante o processo de ensino aprendizagem de forma integral. “Acreditamos que com o ProAc e o método de alfabetização que colocou 77 escolas públicas do Ceará entre as 100 melhores do país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2016, teremos resultados positivos e que nossos alunos saiam do 2º ano da educação básica, aos 7 anos de idade, sabendo ler e escrever perfeitamente”, salientou Alex Vieira Passos.

Projeto

O projeto ‘Novo Lendo Você Fica Sabendo: Letramento e Alfabetização’, nasceu no sertão do Ceará, na cidade de Sobral, em 2001, momento em que as avalições externas na região eram extremamente baixas, tanto nas redes municipais ou nas escolas estaduais e ensino federal.

No Ceará, a partir de estudos e pesquisas da especialista em Alfabetização Daniela Macambira, surgiu como uma coleção de livros, que começou a ser  utilizado por 111 municípios cearenses sendo depois ampliado para todo o Brasil como um programa, o  Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pronaic), implementado pelo governo federal em todo o pais de 2013 a 2018.

Cuiabá começou a implantar o ProAC no ano passado.