“Crescimento de curto prazo é voo de galinha”, alerta presidente do BC

35
source

presidente do bc
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 16.05.2019

“[Permitir] Inflação mais alta por crescimento mais alto e deu errado [no passado]”, lembrou o presidente do Banco Central

Em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO) da Câmara dos Deputados, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a autarquia não trocará uma situação de inflação sob controle por um crescimento de curto prazo da economia. Campos Neto também sinalizou que, por uma série de fatores, não há espaço para uma queda na taxa básica de juros (Selic) neste momento.

“Achar que vamos trocar a inflação controlada por crescimento de curto prazo é voo de galinha. Não dura e, quando ele volta, a crise é grande e nós gastamos um bom tempo tentando recuperar isso. Já  tentamos isso no passado. Inflação mais alta por crescimento mais alto e deu errado”, disse o presidente do BC, acrescentando que, na crise de 2014, os juros caíram e o País pagou uma conta de dois anos de recessão.

Durante a audiência, Campos Neto praticamente repetiu a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que manteve a  Selic em 6,25% ao ano . Ele reforçou a percepção de que a trajetória de crescimento da economia foi interrompida e será retomada, mas demonstrou cautela quanto à condução de sua política monetária.

“O grau de estímulo adequado depende das condições da conjuntura, em particular, das expectativas de inflação, da capacidade ociosa na economia, do balanço de riscos e das projeções de inflação”, explicou o economista.

Na última terça-feira (14), o Copom indicou que trabalha com a possibilidade de um “ligeiro recuo” do PIB (Produto Interno Bruto) no primeiro trimestre deste ano. Um dia depois, o indicador do BC que mede a atividade econômica, o IBC-Br, mostrou queda de 0,68% nos três primeiros meses de 2019 . Esse cenário levou as consultorias e outros agentes do mercado a revisarem para baixo suas projeções de crescimento da economia.

“Nós mencionamos na ata e mencionamos na linguagem oficial que ficamos também decepcionados com o resultado do crescimento. Inclusive mencionamos a palavra ‘retomada’, o que significa que a gente acha que ele [crescimento] foi parcialmente interrompido”, comentou.

Leia também: Presidente do BC atribui queda de expectativa do PIB à incerteza com reformas

O presidente do BC disse ainda que, apesar da interrupção da trajetória de recuperação, espera a retomada gradual da atividade econômica , incluindo a expansão dos investimentos e a melhora no mercado de crédito. Campos Neto, porém, fez um alerta: persistem incertezas sobre aspectos fundamentais do ambiente econômico futuro — notadamente sobre sustentabilidade fiscal — com efeitos adversos sobre a atividade econômica.

Fonte: IG ECONOMIA