Comissão geral é encerrada após seis horas de debates

6

Após cerca de seis horas de debates, foi encerrada há pouco a comissão geral que ouviu o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Ele negou que tenha havido cortes nas universidades e institutos federais e disse que o bloqueio dos recursos é fruto de contingenciamentos ordenados pelo Ministério da Economia.

Declarou ainda que o dinheiro bloqueado poderá ser devolvido aos cofres públicos com a melhoria da situação fiscal do País. Segundo ele, cerca de 3,5% do orçamento das universidades ficaram indisponíveis, e a medida atinge apenas os gastos não obrigatórios.

No decorrer da sessão, Weintraub foi questionado por mais de 60 parlamentares e recebeu críticas e elogios. Muitos apelaram pelo fim das discussões ideológicas na definição de política educacional. O ministro afirmou que o governo tem como prioridades a educação básica e a primeira infância (creche e pré-escola)

O ministro voltará à Câmara na semana que vem, desta vez para falar à Comissão de Educação.

A sessão de hoje teve alguns momentos de tensão. Chegou a ser suspensa após empurra-empurra entre deputados do Psol e do PSL. O ministro também foi advertido pelo presidente em exercício, Marcos Pereira, que exigiu respeito quando Weintraub ironizou se os deputados conheciam uma carteira de trabalho.