CCJ da Câmara se reúne nesta segunda-feira para debater parecer da Previdência

4

Felipe Francischini
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O deputado federal pelo PSL Felipe Francischini é o presidente da CCJ que analisa o texto da reforma da Previdência

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara se reúne nesta segunda-feira (15), a partir das 14h, para debater o parecer da reforma da Previdência (PEC 6/19). O presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), disse que até esta terça-feira (16) haverá um “mapeamento das intenções de votos”.

Leia também: Com pessimismo, governo projeta rombo fiscal para 2020 maior que o deste ano

Em entrevista coletiva em Curitiba, Francischini demonstrou otimismo com a votação da reforma da Previdência . “[Integrantes da base aliada do governo] estão fazendo trabalho de corpo a corpo, conversando individualmente com cada deputado, começando pelos integrantes da CCJ”, disse. “Acredito que já há condições para superar obstáculos.”

Sessão

Segundo o presidente da CCJ, o esforço é para agilizar o processo de discussão e votação na comissão e, assim, enviar para a comissão especial. “Minha intenção é que o trâmite seja o mais ágil possível”, afirmou.

Leia também: Previdência terá idades mínimas de 65 anos para homens e 62 para mulheres

Francischini estima uma longa discussão em torno da proposta , já que 85 deputados estão inscritos para o debate. “Após dez oradores, pode ser apresentado pedido de encerramento de discussão, mas acredito que está caminhando para todos falarem, o que pode significar mais de 20 horas de debate”,

Orçamento impositivo

O presidente da CCJ afirmou que a proposta que amplia o orçamento impositivo (PEC 34/19) pode ser votada na comissão nesta semana. Lembrou, entretanto, que a reforma da Previdência é prioridade no colegiado.

Leia também: Reforma da Previdência é mais prejudicial às mulheres, avalia Dieese

Francischini disse que se um requerimento de inversão de pauta for apresentado, será colocado em votação. “O plenário da CCJ é soberano. Se aprovar [o requerimento de inversão de pauta], o primeiro item será o orçamento impositivo”.

* Com informações da Agência Câmara.

IG ECONOMIA