Com voos cancelados no Rio, passageiros reclamam de atendimento da Avianca

14

avião da avianca
Divulgação/Avianca Brasil

Avianca Brasil

Com 19 voos cancelados em oito capitais neste domingo, e com outras 154 decolagens suspensas até a quarta-feira, a Avianca não divulgou até o momento como será o calendário para a Semana Santa, que começa na próxima quinta-feira.

Leia também: Sob risco de fortes chuvas, prefeitura do Rio de Janeiro muda protocolos

No aeroporto Santos Dumont, dois voos não aconteceram neste domingo e alguns passageiros reclamavam no balcão da Avianca

Residente em São Paulo, Luciana Pacheco veio a trabalho para um evento na Jeaunesse Arena, empresa na qual trabalha na área de marketing, situada na Zona Oeste.

Comprou o voo há cerca de duas semanas por meio do programa de pontos Livelo. Seu voo era o 6011, um dos cancelados e antes programado para as 15h55, com destino ao aeroporto de Congonhas.

“Ao reclamar, um dos funcionários me disse que eu “comprei (a passagem) da Avianca porque quis”. Tive que sair mais cedo de um evento de trabalho em Jacarepaguá para cá e não fui avisada que o voo havia sido cancelado”, diz ela.

“Me disseram que a aeronave estava com algum problema mecânico e, quando falei que não tinha sido avisada, disseram que cancelamentos até 24h do horário do voo não precisam ser avisados. Eu não sabia que estava cancelado. O que é pior, não embarcar por conta de uma aeronave por falta de manutenção ou eles venderem o que não podem cumprir?”, ressalta Luciana. A paulistana foi realocada em um voo da Avianca que saiu às 17h do Santos Dumont.

Leia também:  Após críticas, Bolsonaro diz em carta: “Querem me afastar dos amigos judeus”

Em situação parecida, as 14h30 o casal Luciana Otoni e Diego Cardoso, junto a filha Luiza, de 1 ano, aguardavam apreensivos no balcão da companhia para saber se conseguiriam embarcar em algum outro voo de volta à Brasília.

Eles foram visitar familiares no Rio de Janeiro neste final de semana, em uma viagem comprada antes da Avianca anunciar a recuperação judicial . O voo deles deveria sair do Santos Dumont neste domingo às 18h10.

“Recebemos o comunicado da Avianca somente por e-mail ontem às 22h, mas a companhia não entrou com contato por telefone só visualizamos a mensagem hoje às 11h. Como estávamos hospedados em Bonsucesso, não conseguimos chegar a tempo para embarcar no voo que tinham nos realocado, porque o embarque era às 11h20”, explicou Diego.

“Passamos mais de duas horas no telefone com a Avianca e não resolvemos a situação, então decidimos vir direto ao guichê da companhia para explicar a situação. Fomos realocados para um voo que sai às 21h, da Gol, e vamos perder o carro que tínhamos alugado para seguirmos para nossa casa, em Goianésia, a cerca de três horas de Brasília. Mesmo estando com a criança, a companhia não nos ofereceu nenhuma assistência”, completou.

E o que diz a Anac sobre a situação da Avianca?


fachada da anac
Reprodução

Anac acompanhará caso da Avianca até o fim da semana

Segundo resolução da Agência Nacional de Aviação Civil ( Anac ), ‘Se o atraso for   superior a 4 horas (ou a empresa já tenha a estimativa de que o voo atrasará esse tempo), ou houver cancelamento de voo ou preterição de embarque, a empresa aérea deverá oferecer ao passageiro, além da assistência material, opções de reacomodação ou reembolso’.

Procurada pela reportagem sobre os balanços desses dois dias de cancelamento, a Anac orientou que O Globo procurasse a Avianca.

Em nota, o Procon-SP informou que vai acompanhar na segunda-feira o atendimento no aeroporto de Guarulhos, local onde 22 dos 50 voos cancelados pela Avianca estavam programados para sair. O órgão orienta que a companhia realoque os passageiros em voos de outras companhias aéreas.

Leia também:  Para governo, segurar preço do diesel será menos impactante que nova greve

A Associação Brasileira de Procons (Procons Brasil) comunicou que continuará acompanhando o caso da Avianca até a Semana Santa e que estão apurando a situação. No entanto, ressaltou que “não foram registrados problemas graves com consumidores” e que “a empresa se comprometeu a realocar e reembolsar os passageiros”.

IG ECONOMIA