Ministro da Saúde faz apelo para público-alvo se vacinar contra a gripe

10

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta
Reprodução/Twitter/minsaude

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (centro), durante evento de lançamento da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe

Com o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, nesta quarta-feira (10), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), fez um apelo para que o público-alvo compareça às unidades de saúde para se imunizar. A expectativa, de acordo com o Ministério da Saúde, é imunizar 58 milhões de pessoas até o dia 31 de maio.

O chamado do ministro da Saúde foi feito principalmente  aos grupos prioritários dessa primeira fase da campanha – entre 10 e 18 de abril -, que são as crianças de seis meses a menores de seis anos; as grávidas e as puérperas, mulheres até 45 dias após o parto. Neste ano, a faixa etária do público infantil foi ampliada de crianças menores de 5 anos para até menores de 6 anos, incluindo 2,8 milhões de crianças na campanha.

O chamado foi feito pelo ministro durante cerimônia, em Porto Alegre, que marcou o lançamento oficial da campanha. “Serão doses de vacina onde vamos garantir o inverno para aqueles que necessitam e evitar que aquela gripe se transforme em pneumonia, em tristeza e óbito”, disse Mandetta .

O governo federal enviou aos estados 63,7 milhões de doses da vacina contra a gripe . A partir de 22 de abril, todo o público-alvo da campanha poderá receber a dose. Fazem parte desse grupo os trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Leia também: Prioridade dos eleitores, saúde vira coadjuvante no início da gestão Bolsonaro

O ministro da Saúde informou ainda que houve alteração de duas cepas na vacina, em relação ao ano passado. Por isso, recomenda que os grupos selecionados, ainda que já tenham sido imunizados anteriormente, recebam a nova dose este ano.

*Com informações e reportagem da Agência Brasil