Ensino superior deveria ir para o Ministério da Ciência e Tecnologia, diz Izalci

11

Em entrevista ao programa Salão Nobre, da TV Senado, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) disse que a educação deve ser a prioridade do Executivo e defendeu uma reforma do Estado, para torná-la mais eficiente. O senador, que integra a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), sugeriu que o ensino superior saia do Ministério da Educação e passe para o da Ministério da Ciência e Tecnologia.

Izalci é um dos autores do projeto da Escola sem Partido, que tramita na Câmara dos Deputados (PL 867/2015). O senador disse que a proposta se tornou “muito radical”, mas declarou-se favorável a “alguma forma de controle” para evitar a doutrinação ideológica dos alunos: “Percebi, durante as campanhas eleitorais, uma questão partidária e ideológica muito forte dentro das escolas. Isso é uma estratégia antiga: quando você quer o poder e não consegue pela força, atua na cultura e na educação. Foi o que fizeram. A nossa educação está aparelhada. Não é nem a maioria. Quem faz o barulho mesmo é minoria”, declarou o senador.

Outro projeto defendido por Izalci é o do homeschooling, no qual as crianças são ensinadas por suas próprias famílias, em casa. Diante da atual legislação, o Supremo Tribunal Federal já decidiu que a prática é inconstitucional. Há, porém, projeto de lei na Câmara para permitir a educação domiciliar, apoiado pelo governo. Izalci argumenta que o homeschooling pode prejudicar a socialização, mas, por outro lado, protege os estudantes da violência nas escolas. “Eu sempre vi a escola como o local mais seguro do mundo. Hoje, está difícil; você tem medo de deixar a criança na escola, porque lá têm acontecido as maiores atrocidades”, afirmou.