Desgastado e sem Fernando Rocha, “Bem-Estar” não faz mais sentido na Globo

10

No “Bem-Estar” da última terça-feira (12) Mariana Ferrão entrou ao vivo com uma repórter que estava na casa de uma moradora de São Paulo que teve a casa destruída pelas enchentes.


Sozinha a frente do
Divulgação

Sozinha a frente do “Bem-Estar”, Mariana Ferrão lidera programa que não faz mais sentido na grade da Globo

Visivelmente abalada, a moradora falou sobre o descaso das autoridades após as fortes chuvas, e contou como ela estava se virando após ter a casa inundada. A repórter, seguindo a pauta do “ Bem-Estar ”, perguntou como ela estava higienizando o local, o que levou a mariana de volta no estúdio, com uma especialista falando sobre o assunto.

Leia também: Fernando Rocha fala de saída da Globo e adeus ao “Bem Estar”: “Nada foi em vão”

Seria interessante, não fosse o tom simplificado. Claro, evitar doenças após uma enchente é uma pauta essencial, mas claramente o assunto era delicado demais para a abordagem feita no momento. De maneira similar, Fernando Rocha chegou a ir para Brumadinho (MG) após o rompimento da barragem para levantar pautas que se encaixassem no programa. De novo, pautas essenciais, mas em vista das tragédias as quais se relacionam, ela parecem má direcionadas e exploratórias.

Num outro extremo dos temas tratados no programa está uma produção itinerante que viaja pelo Brasil e mostra apresentações ao vivo e coloca os apresentadores dançando.

O programa tem uma boa proposta, falar de saúde e incentivar as pessoas a cuidar melhor de si mesmas. Mas ao longo dos anos em que esteve no ar, esse tema se dissipou de formas que o levaram a ser mais reconhecido como piada ou meme do que pela informação prometida.

Programas de nicho naturalmente tem uma audiência menor e mais segmentada, e a atração da Globo não consegue acompanhar o ritmo dos outros programas da manhã. O “Bem-Estar” se tornou um problema tão grande que sua exibição foi cancelada na Bahia, enquanto em alguns estados como Minas e Goiás já não consegue mais liderar na audiência.

Uma reformulação na atração poderia até oferecer uma sobrevida, mas sem Fernando Rocha – que era a alma do programa – e sem interesse do público – de que adianta seguir tentando?

Leia também: Ânus gigante, piada ruim e os momentos icônicos de Fernando Rocha no “Bem Estar”

O que será do “Bem-Estar”?


Saída de Fernando Rocha evidenciou a má fase do
Divulgação

Saída de Fernando Rocha evidenciou a má fase do “Bem-Estar”

O programa perdeu o rumo em parte por que gastou seus temas e não soube se reinventar. Mas transformá-lo em um quadro de outro programa, como já foi ventilado anteriormente, também não faria jus à equipe de profissionais dedicados a pesquisar novidades para a atração.

Bem-estar, afinal, vai além da saúde e engloba atividades físicas ou qualquer outra atividade que ajude a saúde mental, autoestima, e uma série de outros fatores que poderiam ser explorados de outra forma. Mas, no geral, a atração em si já não faz mais sentido na grade e deve chegar ao fim.

A
Globo
está em um grande processo de reformulação com nomes como Fernanda Gentil e Angélica disponíveis para assumir novas atrações. As manhãs da emissora, por muitos anos, foram consumidas por produções voltadas para o público infantil, com a própria Angélica responsável por programas ficcionais.

Buscar o público infantil – hoje completamente afastado da emissora – é uma das opções para o horário. Mas nada impede que o “Encontro” comece mais cedo, cedendo seu horário para uma atração mais popular.

Leia também: Deu ruim! Veja os programas que fracassaram na TV em 2018

Não é claro o que será da emissora, que já não tem a soberania na audiência como antes e tudo está em aberto. Mas a repentina saída de Fernando Rocha num “ Bem-Estar ” já bem desgastado mostra que o programa não tem mais futuro na grade da Globo.

IG GENTE