Academia de Polícia de MT não passa por reforma geral há 40 anos

8

Foto: SANDRA COSTA / Assessoria de Gabinete

A Academia de Polícia Militar Costa Verde (APMCV), que é a instituição de Ensino Superior da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, localizada em Várzea Grande, em 40 anos de existência já formou 686 oficiais, mas nunca passou por uma reforma geral. E essa foi uma das reivindicações apresentadas pelo comandante da APMCV, tenente-coronel da PM, James Ferreira, ao deputado estadual, Delegado Claudinei (PSL), que visitou as dependências da unidade de formação nesta quarta-feira (13).

“Nesses 40 anos de existência, a estrutura está um tanto deteriorada, já foram feitas ampliações, mas não tivemos uma reforma geral. Já formamos 686 oficiais, inclusive, o nosso atual comandante-geral saiu daqui. É uma unidade reconhecida como ensino superior. E o que está mais visível hoje é a nossa situação estrutural”, apontou o tenente-coronel James.

A Academia de Polícia conta com cinco grandes pavilhões, seis salas de aulas, biblioteca, sala de informática, academia de musculação, sala administrativa, sala técnico-pedagógica, alojamentos masculino e feminino, laboratório de saúde física, quadra poliesportiva, campo de futebol, tatame, stand de tiro e centro de recarga de munição.

“Sabemos da atual situação de crise do estado, mas investimentos na área de segurança são imprescindíveis e vamos fazer a indicação dessa reforma geral para o governador Mauro Mendes. Um dos nossos compromissos é de trabalhar para fortalecer a segurança pública. Temos os deputados da segurança, Elizeu Nascimento e João Batista, além de outros parlamentares que estarão somando conosco em nossos projetos”, disse Delegado Claudinei.

PROJETOS SOCIAIS – Além disso, a APMCV desenvolve ações de integração com a comunidade. Hoje, quatro projetos sociais são oferecidos, entre eles “Guerreiros Mirins”, que atende 120 crianças e/ou adolescentes com oferta de artes marciais no tatame da Academia, numa parceria com o sensei Minoro e outros quatro professores, todos voluntários. Outro projeto é o “Cadetes Mirins”, numa parceria com o município de Várzea Grande, que disponibiliza uma assistente social e pedagoga para atender 25 crianças às terças e quintas-feiras e elas utilizam campo de futebol, sala de aula e laboratório de informática.

Outra iniciativa é a “APMCV Aberta”, para ue crianças de bairros vizinhos utilizam a quadra poliesportiva e o campo de futebol. Recentemente, a Academia abriu as portas para que as crianças soltem pipa nas dependências ao invés de estarem nas ruas. E, por fim, há o projeto “Resgatando Valores”, uma parceria com a escola estadual Gonçalo Botelho, em que uma vez por mês uma turma da unidade escolar vai até a academia e lá um aluno referência é indicado para receber uma certificação, diante dos alunos da academia que estão em formação de tropa. A ideia com esse projeto é destacar os bons exemplos.