Às vésperas das eleições, Twitter apaga dez mil contas falsas nos Estados Unidos

3

Desde setembro, o Twitter está trabalhando para apagar perfis com mensagens falsas
shutterstock

Desde setembro, o Twitter está trabalhando para apagar perfis com mensagens falsas

O Twitter informou, em comunicado divulgado na sexta-feira (2), que apagou mais de dez mil contas de usuários nos Estados Unidos. De acordo com a rede social, os perfis deletados eram automatizados e produziam mensagens falsas com o objetivo de prejudicas as eleições legislativas americanas, que acontecem na próxima terça-feira (6).

Leia também: Enquete aponta que 70% dos internautas se informam sobre eleições pelo Twitter

Segundo o Twitter , as postagens tinham conteúdo político e eram atribuídas de modo inverídico a membros do Partido Democrata. Nas mensagens falsas , o objetivo era de desencorajar os eleitores a irem votar.

No comunicado, a empresa afirma que já removeu uma série de perfis entre os meses de setembro e outubro, uma vez que eles se envolveram “em tentativas de compartilhar desinformação de maneira automatizada.” A rede social também falou sobre alguns dos mecanismos de segurança adotados durante o período eleitoral: “Para essas eleições, estabelecemos linhas abertas de comunicação e acessos diretos e simples para as autoridades eleitorais nos estados, o Departamento de Segurança Interna e organizações de campanha de ambos os partidos majoritários”.

Leia também: WhatsApp remove contas responsáveis por disparo em massa de fake news 

Em outubro, a plataforma já havia informado o desligamento cerca de 9 milhões de contas no terceiro trimestre de 2018, também por razões políticas.

Mensagens falsas sobre eleições também foram pegas no Facebook


O Facebook também precisou apagar contas com mensagens falsas sobre o período eleitoral
shutterstock

O Facebook também precisou apagar contas com mensagens falsas sobre o período eleitoral

Em julho, o Facebook  deletou 32 contas suspeitas que administravam perfis e páginas falsas tanto na própria rede social quanto no Instagram. A decisão foi tomada depois que uma investigação interna encontrou evidências de tentativa de interferência externa política também para as eleições parlamentares norte-americanas de novembro. Na época, a empresa apagou sete contas falsas de Instagram, oito páginas de Facebook e 17 perfis. Todos eles criados entre março de 2017 e maio de 2018.

 O Facebook também informou que essas páginas promoveram mais de 150 propagandas nas redes sociais, pagando cerca de US$ 11 mil em moeda americana ou canadense. Além disso, as páginas citadas criaram por volta de 30 eventos nesse período, sendo que o maior deles atraiu interesse de 4,7 mil contas e que mais de 290 mil usuários seguiram ao menos uma das páginas suspeitas.

Mesmo com a grande disseminação de mensagens falsas , as eleições parlamentares acontecem no dia 6. Serão escolhidos parlamentares para todas as 435 cadeiras da Câmara dos Representantes, 35 novos senadores de um total de 100, 36 governadores e dezenas de legislaturas estaduais. O pleito poderá transformar o cenário político do país, com um possível avanço da oposição democrata no Congresso.

*Com informações da Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui